Sociedade

Vacinas contra a covid-19 para crianças chegam a 13 de dezembro, afirma Lacerda Sales

O secretário de Estado Adjunto e da Saúde confirmou que Portugal vai receber as primeiras 300 mil vacinas no início da próxima semana e terá nas mãos mais 400 mil em janeiro do próximo ano. O total de 700 mil vacinas é suficiente para imunizar todas as crianças a nível nacional. Contudo ainda falta a aprovação da DGS para este processo avançar. 


Portugal vai receber as primeiras 300 mil vacinas contra a covid-19 para crianças dos cinco aos onze anos, do consórcio farmacêutico BioNTech/Pfizer, a 13 de dezembro, que dará para administrar pelo menos metade desta faixa etária, anunciou, esta segunda-feira, o secretário de Estado Adjunto e da Saúde. 

"Vão chegar cerca de 300 mil vacinas no dia 13 de dezembro", confirmou António Lacerda Sales durante a cerimónia de abertura da extensão de saúde de Montalvo, no concelho de Constância, Santarém, revelando ainda que "depois, durante o mês de janeiro, chegarão mais 400 mil vacinas, o que, para esta população, será suficiente" para ficar imunizada contra o vírus. 

O total de 700 mil vacinas serve para assegurar a vacinação desta faixa etária a nível nacional. Note-se que esta vacina é diferente por ser de dose única "de 10 microgramas, cerca de um terço da dose de um adulto". 

Contudo, o Governo não pode avançar com este processo, visto que ainda falta o aval da Comissão Técnica de Vacinação que dará a aprovação final para a vacinação em crianças dos cinco aos onze anos. 

"Estamos neste momento à espera da decisão da Comissão Técnica de Vacinação, que esperamos seja uma decisão favorável, para vacinação das crianças até aos 11 anos, havendo ainda depois dessa decisão o parecer [da Direção-Geral da Saúde], e a nós o que nos compete, enquanto Governo, é ter todo o planeamento e toda a logística (...) para estarmos preparados para vacinar e é isso que estamos a fazer", explicou o secretário.

Já da parte do Ministério da Educação, o governante que tutela esta pasta disse que tem tudo a postos caso a Direção-Geral da Saúde (DGS) aprove a vacinação das crianças a partir dos cinco anos.

"O que desejamos é que a vacinação ocorra rapidamente e em grande extensão. É isso que eu espero que aconteça e é isso que eu tenho sentido das direções das escolas, dos professores e de quem representa os pais e os encarregados de educação", afirmou Tiago Brandão Rodrigues à margem de uma visita à Escola Básica Dr. Manuel da Costa Brandão, em Arcos de Valdevez, Viana do Castelo. 

Recorde-se que, no dia 25 de novembro, a Agência Europeia de Medicamentos (EMA) aprovou a inoculação da vacina contra a covid-19 da BioNTech/Pfizer em crianças dos cinco aos onze anos, sendo a primeira farmacêutica a entrar no mercado da União Europeia (UE) com uma vacina para esta faixa etária.

Os comentários estão desactivados.