Sociedade

Alunos levam aquecedores para salas para combater o frio

A Escola Primária da Freia está sem aquecimento desde o mês de junho devido à trovoada e não foi substituído desde então. Alunos passam frio.


Por Gonçalo Morais

Os alunos da Escola Primária da Feira, em Canas de Senhorim, concelho de Nelas, no distrito de Viseu, estão a levar aquecedores para as salas de aulapara não passarem frio, já que desde o início do ano letivo – no dia 14 de setembro – que o ar condicionado não funciona.

Para os alunos não sofrerem com as baixas temperaturas, levar os equipamentos para as salas de aula foi a alternativa que os encarregados de educação encontraram, numa altura em que o mercúrio dos termómetros está a baixar e o mau tempo se instalou. O equipamento – que tinha sido recentemente instalado devido às obras de requalificação da escola primária – avariou no mês de junho devido à trovoada e não foi substituído ou consertado deste então. Em causa está um arranjo de três mil e 500 euros, segundo o Jornal do Centro.

A situação começou por ser exposta nas redes sociais pelos pais das crianças. Um dos pais escreveu um tweet a contar como o seu filho ia para a escola de aquecedor. Renato Oliveira, que tem um filho no segundo ano, lamenta que as crianças estejam ser prejudicadas. Considera o problema “incompreensível”. “Estamos a falar de crianças, e também dos professores, que precisam de conforto para estar nas aulas. Não faz sentido estarem todos encasacados”, explica.

Entretanto, o presidente da Câmara de Nelas, Joaquim Amaral, anunciou que a partir desta terça-feira iriam ser colocados aquecedores nas salas de aulas. “Estamos a falar de um equipamento escolar novo cujo ar condicionado ficou avariado. Naturalmente que estamos a tratar do assunto com o empreiteiro. Mas, para solucionar o problema no imediato, a autarquia já diligenciou esforços no sentido de haver aquecimento em todas as salas de aula”, assegura o autarca, citado pelo mesmo jornal.

O inverno nas escolas Também no início do ano uma foto que mostrava um aluno da Escola Secundária de Serpa, no Alentejo, encasacado e de capuz na cabeça para se proteger do frio gerou polémica. “Esta imagem e outras semelhantes repetem-se, de segunda a sexta, em muitas salas de aula do nosso estabelecimento de ensino/agrupamento”, escreveu na altura o professor Vítor Brasão, na sua página do Facebook.

A CDU e o diretor do Agrupamento de Escolas Camilo Castelo Branco reuniram-se na sexta-feira passada tendo como tema principal a reabilitação da Escola EB 2,3 Júlio Brandão, situada em Famalicão. Entre os problemas que se enumeram, encontra-se também falta de aquecimento das instalações.

Depressão Barra vem agitar águas As condições meteorológicas não estão a ajudar. Portugal continental começou a ser afetado desde ontem por chuva persistente, agitação marítima forte e vento – os efeitos colaterais da passagem da depressão Barra.

Espera-se ainda trovoada e a intensificação do vento, mas que será passageira.

 

Os comentários estão desactivados.