Cultura

Camelos com botox desclassificados de concurso de beleza na Arábia Saudita

Os animais são avaliados por júris que medem o tamanho dos seus lábios, bochechas, cabeças e joelhos. Mais de 40 camelos foram desclassificados por uso de botox e de outros produtos cosméticos artificiais.


Mais de 40 camelos foram desclassificados do popular Festival de Camelos Rei Abdulaziz, que começou no início deste mês, e que convida os criadores “dos mais belos camelos do país” a competirem entre si. 

Injeções de botox, lifting facial e outras alterações cosméticas para tornar os camelos mais atraentes são estritamente proibidas pela organização do concurso. 

Segundo a agência de notícias Associated Press, o júri decide o vencedor com base no formato das cabeças, pescoços, corcovas (saliências nas costas), roupas e a postura dos dromedários. 

De acordo com a agência oficial de notícias do governo, este ano, em resultado de uma fiscalização mais apertada contra fraudes e maus-tratos aos animais, os jurados do festival, descobriram que dezenas de criadores tinham recorrido a hormonas para “estimularem os músculos dos camelos” e que haviam “injetado botox nos lábios, entre outros procedimentos cosméticos”.

"Queremos impedir todos os procedimentos que alteram a beleza dos animais", reforçou a organização do evento, que decorre no meio do deserto, num comunicado onde sublinhou as "multas severas" previstas para os incumpridores.

O concurso de beleza de camelos é parte de uma grande celebração no país, que também conta com corridas e quermesses envolvendo estes animais. O seu objetivo é “preservar o papel do camelo na tradição e herança cultural de um reino rico em petróleo e com grandes projetos de modernização no horizonte”.

A criação de camelos é uma indústria multimilionária, e eventos semelhantes acontecem em toda a região.

O prémio para o vencedor é de cerca de 58 milhões de euros.