Sociedade

Parafuso terá provocado descarrilamento do comboio regional que interrompeu circulação da Linha do Algarve durante 17 horas

De acordo com um comunicado disponível no site do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e de Acidentes Ferroviários (GPIAAF), o comboio "descarrilou em plena via" e parou "cerca de 200 metros depois do local de início do descarrilamento". O caso está a ser investigado pela Polícia Judiciária de Faro. 

 

 


O descarrilamento de um comboio regional, na segunda-feira, na zona entre Olhão e Fuseta terá sido provocado alegadamente por um parafuso colocado sobre o carril. 

Esta é a principal causa do acidente apontada à agência Lusa por uma fonte da Polícia Judiciária (PJ) de Faro, que está a investigar as circunstâncias que levaram ao descarrilamento do comboio, no qual não houve feridos. 

De acordo com um comunicado disponível no site do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e de Acidentes Ferroviários (GPIAAF), o comboio "descarrilou em plena via" e parou "cerca de 200 metros depois do local de início do descarrilamento". 

"Na sequência da receção da notificação do gestor da infraestrutura poucos minutos depois da ocorrência, o GPIAAF mobilizou imediatamente o investigador de prevenção para o local do descarrilamento, conforme os procedimentos deste gabinete", detalhou o GPIAAF na mesma nota. 

Porém, depois de reunir toda a informação necessária, o GPIAAF "decidiu não haver lugar à abertura de investigação no quadro das suas competências legais, por se ter constatado que o descarrilamento resultou diretamente de intervenção externa ao sistema ferroviário", revelou, indicando que o assunto foi "entregue às autoridades judiciárias competentes".

A circulação ferroviária na Linha do Algarve, entre Olhão e Fuseta, ficou interrompida devido ao descarrilamento durante 17 horas: das 15h27 de segunda-feira até às 08h22 de terça-feira, explicou na altura a entidade Infraestruturas de Portugal, acrescentando que foram registados "apenas danos materiais". 

Os comentários estão desactivados.