Cultura

Arranca esta sexta-feira 80.ª edição do Circo de Natal do Coliseu do Porto

Arranca hoje a 80.ª edição do Circo de Natal do Coliseu Porto Ageas. A tenda está montada até 2 de janeiro.


Chegou uma das alturas do ano mais ansiadas pelos portuenses que vivem e respiram o mundo do circo. A 80.ª edição do Circo de Natal do Coliseu do Porto Ageas arranca hoje, com sessões diárias (exceto segundas e terças-feiras) em vários horários, até 2 de janeiro. É um total de 35 sessões, juntando 60 pessoas de 4 nacionalidades (Canadá/Vietname, Brasil, Roménia, Portugal), e incluindo 10 atuações inéditas.

Este é um dos eventos ex libris do Coliseu do Porto, e da própria cidade. Faça chuva, faça sol, as filas estendem-se ao longo da rua Passos Manuel, com visitantes de todas as idades que procuram maravilhar-se com os espetáculos de luz e som, acrobacia, humor, malabarismo, trapézio, equilibrismo, dança, arco e bola aérea, roda alemã, ilusionismo e um globo radical. Esta é a proposta do Circo do Coliseu para 2021, com música original de Rui Lima e Sérgio Martins, e uma banda sci-fi ao vivo, na forma de um ensemble dirigido por Suse Ribeiro. Está, assim, garantida a “magia e diversão intergaláctica na Baixa portuense”, conforme anunciam os promotores.

São já 80 edições de Circo de Natal no Coliseu do Porto, e o número ‘redondo’ não ficará sem celebração especial. “Especialíssima”, aliás, refere a organização, prometendo apresentar o Coliseu “num conceito de circo mais arrojado, proporcionando uma experiência musical, visual e temática de grande envolvimento e impacto junto do seu público”.

Assim, procura-se envolver os visitantes deste Circo de Natal em ambientes ”futuristas e intergalácticos”, e o tema vai tocar em praticamente todos os elementos desta festa, da cenografia ao guarda-roupa, passando pela música e pelos 15 números de circo apresentados. O fio condutor? Uma paleta cromática comum, presente nos vídeos desenvolvidos pela ESMAD-IPP, nos figurinos originais, feitos “a partir da inspiração de seres em planetas imaginados”, e na cenografia e nos adereços feito por membros da Escola Artística Soares dos Reis.

Cada atuação envolverá o público num novo planeta por descobrir, dividindo-se as apresentações em diferentes formatos: no ar, com acrobacias com arco e bola de cristal, voos rasantes acima das cabeças do público; na pista, a maior (em sala) da Europa, com roda alemã, malabarismo, clown; no palco, com o globo radical e um número com motorizadas; e em “lugares inesperados da sala”, com funambulismo, grandes ilusões.

O preço dos bilhetes varia entre os 8€ e os 18€.

 

Os comentários estão desactivados.