Oficina SOL

China afirma que continuará a promover a abertura ao mundo

A China "defenderá inabalavelmente o multilateralismo genuíno", "partilhará inabalavelmente oportunidades de mercado com o mundo", "promoverá inabalavelmente um elevado nível de abertura" e "salvaguardará inabalavelmente os interesses comuns do mundo".


Na abertura da 4.ª edição da CIIE (China International Import Expo), a declaração do Presidente Xi Jinping agradou aos expositores dos mais variados pontos do mundo. Afirmou Xi Jinping: “A China continuará a promover a abertura ao mundo, compartilhando oportunidades de desenvolvimento e tornando a globalização económica mais inclusiva, equilibrada e benéfica para todos”.

A abertura é a marca distintiva da China contemporânea. Em particular, nos últimos 20 anos desde a sua adesão à Organização Mundial do Comércio (OMC), a China tem cumprido de forma abrangente os seus compromissos de adesão e expandido a sua abertura, resultando num desenvolvimento significativo para si própria e contribuindo para a economia mundial.

No futuro, como irá a China interagir com o mundo?

A China "defenderá inabalavelmente o multilateralismo genuíno", "partilhará inabalavelmente oportunidades de mercado com o mundo", "promoverá inabalavelmente um elevado nível de abertura" e "salvaguardará inabalavelmente os interesses comuns do mundo". Estas quatro declarações do Presidente Xi Jinping reflectem o rápido desenvolvimento da economia chinesa nas últimas décadas e proporcionam uma brisa de optimismol tão necessário para a economia mundial, que enfrenta muitos desafios face à epidemia. A abertura da China é uma questão natural.

Há vinte anos, na véspera da adesão da China à OMC, o então Director-Geral da OMC, Mike Moore, escreveu no New York Times International que os historiadores do futuro nomeariam a adesão da China à OMC como "um dos acontecimentos históricos mais importantes do século XXI". Argumentou que a adesão da China à OMC significava "oportunidades consideráveis" para as empresas globais. A previsão de Moore foi confirmada - as empresas globais têm competido para conquistar o mercado chinês nas últimas duas décadas.

Atualmente, a China tem uma população de mais de 1,4 mil milhões de habitantes e um grupo de rendimento médio de mais de 400 milhões, e importa cerca de 2,5 triliões de dólares em bens e serviços todos os anos. A Feira cada vez mais viva tem demonstrado a enorme atractividade do mercado chinês para as empresas globais.

Este ano, cerca de 3.000 empresas de 127 países e regiões participam na Feira, com expositores dos cinco continentes, cobrindo países desenvolvidos, em desenvolvimento e menos desenvolvidos.

Os comentários estão desactivados.