Sociedade

INSA regista 69 casos da variante Omicron e verifica possível "circulação comunitária"

Os dados foram recolhidos em colaboração com diversos laboratórios no período de 25 de novembro a 12 dezembro, para monitorizar em tempo-real a "falha" na deteção do gene S, que permite encontrar a variante Omicron. 


Foram registados em Portugal 69 casos da variante Ómicron, um número que representa uma "tendência fortemente indicadora da existência de circulação comunitária", apurou o Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA), esta terça-feira. 

"Até à data, estão identificados um total de 69 casos da variante Ómicron por pesquisa dirigida de mutações e/ou sequenciação do genoma viral", indica o relatório do INSA sobre a diversidade genética do SARS-CoV-2, acrescentando que os dados foram recolhidos em colaboração com diversos laboratórios no período de 25 de novembro a 12 dezembro, para monitorizar em tempo-real a "falha" na deteção do gene S, que permite encontrar a variante Omicron. 

Através da análise, a INSA considera que existe "uma tendência crescente na proporção de casos positivos com falha do gene S desde o dia 6 de dezembro, atingindo uma frequência relativa de 9.5% no dia 12 de dezembro".

Esta tendência, que foi observada em particular nos últimos três dias, é "fortemente indicadora da existência de circulação comunitária da variante Ómicron neste período, em forte paralelismo com o cenário observado em outros países" que estão a recorrer à mesma abordagem para vigar esta variante, tais como Dinamarca e Reino Unido. 

Esta nova variante foi detetada na África Austral e classificada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como "preocupante". Desde que as autoridades de saúde sul-africanas lançaram o alerta, a 24 de novembro, foram notificadas infeções por esta variante em mais de 60 países do mundo, nomeadamente Portugal. 

Os comentários estão desactivados.