Sociedade

Militares da GNR apanhados a dormir durante serviço vão ter de pagar 1.752 euros

Militares da GNR foram apanhados a dormir por comandante. 


Dois militares da GNR de Alijó foram condenados pelo Tribunal ao pagamento de um total de 1.752 euros, entre multas e custas, por terem sido apanhados a dormir no posto em horas de serviço.

Segundo revela a agência Lusa, que teve acesso ao acórdão do tribunal criminal de São João Novo, no Porto, um dos arguidos, cabo, foi condenado a três meses de prisão, substituídos por uma multa de 720 euros e o pagamento de 306 euros a título de custa. O outro, um guarda principal, terá de pagar o mesmo valor de custas e uma multa de 420 euros em substituição de uma pena de dois meses de prisão. Em causa está o incumprimento dos deveres de serviço, um crime previsto e punido pelo Código de Justiça Militar.

O tribunal deu como provado que os dois militares estavam escalados para serviços entre as 20h00 de 2 de maio de 2020 e as 08h00 do dia 3 de maio. Contudo, por volta das 02h20 da madrugada, foram apanhados a dormir pelo comandante.

Os militares alegaram, durante o julgamento, que estavam deitados mas não a dormir. Esta tese foi rejeitada pelo tribunal.

Os comentários estão desactivados.