Economia

BCE dá luz verde à nova administração da Caixa

Leão diz que nova equipa “assenta numa estratégia de continuidade, com alguns elementos de renovação com vista a salvaguardar a estabilidade da gestão e a prossecução dos bons resultados nos próximos anos”.  Paulo Macedo foi reconduzido no cargo e António Farinha Morais irá substituir Rui Vilar,


O Governo já elegeu o novo conselho de administração da Caixa Geral de Depósitos (CGD) para o mandato 2021-2024, depois de ter sido concluído o processo de avaliação (fit and proper) por parte do Banco Central Europeu, na sequência da proposta remetida em 29 de julho de 2021 ao Banco de Portugal. Paulo Macedo foi reconduzido no cargo de CEO, já o chairman será António Farinha Morais que irá substituir Rui Vilar, após ter mostrado indisponibilidade em continuar no cargo, ao afirmar que era “altura de virar a página” e de renovar a equipa.

“A nova composição do conselho de administração da CGD assenta numa estratégia de continuidade, com alguns elementos de renovação, nomeadamente o chairman, com vista a salvaguardar a estabilidade da gestão e a prossecução dos bons resultados nos próximos anos. A escolha dos novos administradores ou a sua recondução pautou-se por critérios de competência, elevado sentido de interesse público, independência e valores éticos”, disse o ministro das Finanças, em comunicado. 

João Leão chamou ainda a atenção para o facto de o banco público ter regressado nos últimos anos “a níveis de rendibilidade que permitiram iniciar a retribuição aos portugueses do esforço de recapitalização, com o pagamento, já este ano, de um dividendo extraordinário de 300 milhões de euros”, ao mesmo tempo que, aumentou os seus rácios de capital, “tendo hoje rácios superiores à média em Portugal e noutros Estados-Membros da União Europeia, e que lhe permite enfrentar a situação pandémica em melhor posição com pares nacionais e europeus.

O governante recordou ainda que em abril, a administração da Caixa concluiu com sucesso o plano de reestruturação, o que contribui para a estabilidade e confiança do sistema financeiro, para a proteção da poupança dos portugueses e para o financiamento das empresas e das famílias.

E deixou uma palavra em relação ao futuro: “Estou confiante de que o novo conselho de administração da Caixa Geral de Depósitos assegurará com o maior sucesso a estabilidade financeira da instituição, contribuindo para solidez do nosso sistema financeiro, para a promoção da poupança, para a competitividade da nossa economia, através do financiamento das empresas e das famílias”.

Recorde-se que o lucro da Caixa aumentou 9,4% para 429 milhões de euros até setembro. 

Os comentários estão desactivados.