Internacional

Grécia. Governo pressionado para que feminicídio seja considerado crime

Oposição considera que “é hora de agir”

Grécia. Governo pressionado para que feminicídio seja considerado crime

O governo da Grécia tem estado sob pressão para introduzir o feminicídio como crime no código penal do país devido à indignação da população face ao número crescente e sem precedentes de mulheres brutalmente assassinadas pelos seus parceiros.

Duas mulheres foram assassinadas pelos seus maridos no prazo de cinco dias na semana passada, elevando o número de mortes para 17 desde o início do ano. Os dois homens disseram à polícia que tinham matado as esposas pelo medo que tinham de as deixarem.

Também no sábado passado a polícia impediu por pouco que uma 18.ª mulher fosse morta pelo marido quando os agentes arrombaram a porta da casa do casal, enquanto o homem segurava uma faca junto à garganta da mulher. Assim, os apelos foram feitos para que haja uma ação legislativa mais dura para enfrentar o problema.

Alexis Tsipras, antigo primeiro-ministro do país e principal líder da oposição, salientou que o tempo estava a esgotar-se. "O desgosto e a fúria não são suficientes. É a hora de agir. "Já estamos atrasados", disse, lamentando a recusa do parlamento grego em discutir o assunto. "O reconhecimento dos feminicídios pelo Estado deveria ser apenas o começo".

 

Os comentários estão desactivados.