Politica

“Juntos seguimos e conseguimos”. PS apela a militantes

“Não deixemos que o futuro seja interrompido. Junte-se a nós neste caminho porque queremos mais”, é desta forma que o PS se dirige aos militantes para acompanharem o caminho até às eleições. 


“Juntos seguimos e conseguimos”. Este é o mote do Partido Socialista que enviou um email aos militantes do partido para acompanharem o caminho do PS até às eleições legislativas, marcadas para o próximo dia 30 de janeiro. “O nosso caminho até 30 de janeiro continua, com um novo mote e energia reforçada. Pode acompanhar a nossa campanha para as eleições legislativas de 2022 através do site antoniocosta2022.pt”, diz num email a que o i teve acesso.

 E deixa um alerta: “Não deixemos que o futuro seja interrompido. Junte-se a nós neste caminho porque queremos mais: continuar a defesa de um país melhor. O combate à pandemia e o relançar da economia só serão possíveis com a sua participação”.

O site faz ainda um balanço de 2015 a 2021 em cinco categorias: educação, saúde, economia, desigualdades e clima. 

Recorde-se que as listas de deputados do Partido Socialista para as próximas legislativas foram aprovadas na reunião da Comissão Política com 83% dos votos a favor, 14% contra e 3% nulos. “Tratam-se de listas com pessoas que têm experiência de vida e experiência política”, disse José Luís Carneiro, o escolhido como cabeça de lista para a cidade de Braga, considerando estas características essenciais para “dar um suporte político competente a um Governo que se quer estável”.

O secretário-geral adjunto do PS disse ainda que integram estas listas 147 mulheres, há oito cabeças de lista novos em relação às eleições legislativas de 2019 e foram incluídos em lugar de eleição direta dois dirigentes da UGT (Sérgio Monte, em Lisboa, e Ana Paula Bernardo, no Porto). 

Também o dirigente socialista Duarte Cordeiro afirmou que o “objetivo claro” do PS é ganhar as eleições legislativas para criar um Governo para quatro anos, que garanta estabilidade ao país e dê segurança aos portugueses.
Em contraponto, Duarte Cordeiro disse que o PS “faz um contraste muito grande com este PSD” e “António Costa faz um contraste muito grande com Rui Rio”, reforçando a ideia de que aquilo de que o país necessita para os próximos quatro anos “é de um Governo de estabilidade”, e não “propostas que propõem instabilidade” ou soluções de meia legislatura.

Os comentários estão desactivados.