Opiniao

Canções de Natal de Portugal


Por Roberto Knight Cavaleiro

Em 1955, a musicóloga Laura Boulton apresentou na Igreja da Estrela, em Lisboa, um programa de música folclórica portuguesa que gravou em fita durante uma digressão por vilas e aldeias dos bairros do centro e norte. Apresento a seguir uma seleção de canções de Natal tradicionais cantadas em Tomar (a cidade em que resido) e Cinfães que são municípios ribeirinhos de dimensões semelhantes com histórias que remontam à época romana e aos Cavaleiros Templários medievais. Podem ser ouvidos no álbum Folkways nº FP6845. As canções de Natal eram cantadas (geralmente sem nenhum acompanhamento além de uma flauta) durante os doze dias do Natal, da véspera aos reis, e os cantores às vezes usavam trajes adequados.

 

1. Tomar

Pinheiros do Natal

Luz de candura

São os dons presentes,

Recordam os ausentes,

Num hino d´amor e de ventura

 

Boa noite, meus Senhores,

Boas festas vimos dar;

Vimos pedir aos Senhores,

Boas festas vimos dar.

Vimos pedir aos Senhores,

Licena para cantar.

Vem-me agora ao pensamento

Una lembrança divina,

Convidar nossa Senhora

Para ser nossa madrinha

Para ser nossa madrinha.

 

Ela nos queira ajudar

Mais o Santo São José,

Que nos queira acompanhar.     

 

Debaixo de um sol divino

Esta um tanque de agua fria

Onde se batiza o Deus

Filho da Virgem Maria -

Filho da Virgem Maria –

Nossa Mao do coração

Venha dar a esmola ao Rei,

Venha com toda a atenção

Venha com toda a atenção

 

Não se venha arrepender

Nas suas aflições –

Só Deus lhe pode valer

 

2. Cinfães

Vimos dar as Boas Festas

A estes nobres Senhores

Que já nasceu o Menino

Em Belém entre os pastores

 

Nós andamos por aqui

O que queremos é dinheiro

Venha o vinho do tonel

Venha a carne do fumeiro (rep)

Venha o vinho especial

Nós vamos todos contentes

Fazer borga em geral.

 

Entrai pastorinhos

Por esse portal sagrado.

Vim de ver o Deus Menino

Numas palhindas deitado.

 

Nós bem vimos Nos Senhora

Nos alpendres de Belém,

Com o seu Menino nos braços

E Lhe parecia tão bem.

 

Gloria seja a de José

E também a de Maria

Que pró ano, se Deus quiser,

Voltaremos neste dia.

 

Imagem 1 - Josefa d'Óbidos

Imagem 2 - Presépio de Natal

Imagem 3 - Presépio de Natal