Economia

BdP. Depósitos das famílias atingem recorde de 171,9 mil milhões de euros

Desde o início da pandemia as famílias aumentaram os seus depósitos junto dos bancos residentes em 19,7 mil milhões de euros.

BdP. Depósitos das famílias atingem recorde de 171,9 mil milhões de euros

O montante de depósitos que os particulares detinham em bancos residentes em novembro desde ano registou um crescimento de 7,1% face ao mesmo mês do ano passado para os 171,9 mil milhões de euros.

Os dados foram divulgados esta quarta-feira pelo Banco de Portugal (BdP) que garante que este valor representa “um novo máximo histórico”. E explica que, “para esta situação contribuíram essencialmente os depósitos à ordem que cresceram 15,1% face ao período homólogo”.

Desde o início da pandemia, em março do ano passado, os particulares aumentaram os seus depósitos junto de bancos residentes em 19,7 mil milhões de euros.

O banco liderado por Mário Centeno avança ainda que também os depósitos das empresas atingiram um máximo histórico: em novembro, o montante de depósitos das empresas em bancos residentes em Portugal cresceu 15,8% em relação ao mesmo mês de 2020 para 60,1 mil milhões.

E os empréstimos? Em novembro, o montante total de empréstimos aos particulares para habitação cresceu 4,4% em relação ao mesmo mês do ano passado, para 96,6 mil milhões de euros, revelou esta quarta-feira o Banco de Portugal (BdP).

Já os empréstimos ao consumo continuaram a acelerar: cresceram 2,2% relativamente a novembro de 2020, para 19,2 mil milhões de euros.

Explica o BdP que, no mês em análise, 1,5% do stock total de empréstimos dos bancos aos particulares estava em incumprimento, atingindo um novo mínimo histórico. “Para a redução deste rácio contribuiu, maioritariamente, a diminuição do rácio de empréstimos ao consumo e outros fins que se encontram em incumprimento (reduziu 0,7 pp face ao mês anterior, para 4,6%)”, avança o BdP, acrescentando que “estes empréstimos deixaram de estar registados no balanço dos bancos devido à venda de empréstimos e à conversão em empréstimos abatidos ao ativo”.

Já para as empresas, o montante total de empréstimos concedidos pelos bancos às empresas cresceu 4,7% em relação a novembro de 2020, para 76,0 mil milhões de euros, um ritmo de crescimento que cai pelo sétimo mês consecutivo.

Os comentários estão desactivados.