Internacional

OMS quer 70% da população mundial vacinada contra a covid-19 até julho

O dirigente da OMS alertou também para um “tsunami de casos” de covid-19 devido às variantes Delta e Omicron.


O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou, esta quarta-feira, que quer que os “governos, indústria e sociedade civil” trabalhem em conjunto para vacinar 70% da população até meados de 2022.

"Quero que governos, indústria e sociedade civil trabalhem connosco numa campanha que visa 70% de cobertura de vacinas em todos os países até o início de julho", afirmou, na videoconferência de imprensa regular sobre a evolução da pandemia da covid-19.

O responsável lamentou ainda que não tenha sido atingida a meta de vacinar 40% da população mundial até ao final de 2021, sublinhando que 92 países, de 194, não atingiram os objetivos.

"Não é apenas uma vergonha moral, custou vidas e deu ao vírus a oportunidade de circular e sofrer mutações", frisou.

“Este é o momento de superar nacionalismos de curto prazo e proteger as populações e economias contra as variantes futuras, acabando com a desigualdade global das vacinas”, apelou, destacando que “a chave” para o fim da crise pandémica está relacionada com o fim da desigualdade na distribuição e administração de vacinas.

Na conferência de imprensa, o dirigente da OMS alertou também para um “tsunami de casos” de covid-19 devido às variantes Delta e Omicron.

Os comentários estão desactivados.