Sociedade

Portugal terá de entregar até ao dia 20 de janeiro o pedido de extradição de João Rendeiro

Esta decisão surge na sequência do final do primeiro prazo de 18 dias para a formalização do pedido de extradição, contabilizado desde a detenção do ex-banqueiro em Durban no passado dia 11.


Portugal poderá submeter a documentação para formalizar o pedido de extradição do ex-banqueiro João Rendeiro até ao dia 20 de janeiro, visto que foi prorrogado para o máximo de 40 dias, confirmou, esta quinta-feira, a porta-voz da National Prosecuting Authority (NPA), o Ministério Público da África do Sul, Natasha Ramkisson, à agência Lusa. 

Esta decisão surge na sequência do final do primeiro prazo de 18 dias para a formalização do pedido de extradição, contabilizado desde a detenção do ex-banqueiro em Durban no passado dia 11.

"A NPA tinha informado o tribunal e concordado com as autoridades portuguesas que tinham 40 dias para apresentar o pedido. Iremos ao tribunal no dia 10 de janeiro para fornecer uma atualização da situação sobre o assunto", indicou Natasha Ramkisson, referindo-se à primeira sessão sobre o processo de extradição do antigo presidente do BPP, que será realizada no tribunal de Verulam naquela data. 

A mesma fonte também interrogou o Ministério Público português, mas não recebeu qualquer resposta. 

Ainda assim, a advogada sul-africana de João Rendeiro, June Marks, afirmou à Lusa que está muito perto de apresentar em tribunal o recurso da medida de coação imposta ao ex-presidente do BPP. "Ainda estamos a finalizar o recurso", observou. 

João Rendeiro está em prisão preventiva no estabelecimento prisional de Westville, depois de o juiz sul-africano Rajesh Parshotam ter tomado a decisão de manter o ex-banqueiro naquela cadeia, que é considerada uma das mais perigosas daquele país. 

Os comentários estão desactivados.