Sociedade

"Estamos a passar à endemia", considera Marcelo Rebelo de Sousa

O chefe de Estado sublinha que “devemos ter, naturalmente, as precauções e o bom senso”, mas que nos “habituámos aos poucos a viver com este fenómeno”.


O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, considerou, esta sexta-feira, que o país está a passar da pandemia à endemia e frisou a diminuição no número de internados e mortes, em relação ao ano passado.

"O número de internados é um terço de há um ano e o número de cuidados intensivos é um quarto de há um ano e o número de mortes é um quarto de há um ano”, afirmou, em declarações aos jornalistas na Costa da Caparica.

O chefe de Estado sublinha que “devemos ter, naturalmente, as precauções e o bom senso”, mas que nos “habituámos aos poucos a viver com este fenómeno”.

“Estamos a passar à endemia. A pandemia está, ainda, aí, mas já passamos à endemia”, considerou.

Sobre o eventual adiamento do regresso às aulas, marcado para dia 10 de janeiro, o Presidente da República remeteu a decisão para o Governo.

 “Ouvidos os especialistas, há que deixar essa decisão em função daquilo que se verificar daqui por uma semana a semana e meia. Não há nada como ir acompanhando a evolução da situação para tomar decisões”, disse.

De sublinhar que a diretora-geral da Saúde, Graças Freitas, considerou, na noite de quinta-feira, ser “prematuro” dizer que as medidas implementadas no período de contenção – entre 25 de dezembro e 9 de janeiro – “vão cair todas a 10 de janeiro”.

Os comentários estão desactivados.