Sociedade

Peritos propõem fim do teletrabalho na atual situação. Regras só devem apertar se ocupação em UCI subir

Na reunião com o Governo, no Infarmed, esta quarta-feira, e em véspera do Conselho de Ministros, os peritos defenderam que deve haver uma redução de medidas restritivas, nomeadamente o fim do teletrabalho, e que as regras só devem apertar se ocupação em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI) ultrapassar os 70% e se o Rt estiver acima de 1.


No encontro desta quarta-feira, Raquel Duarte, do Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto, deixou as propostas da sua equipa. A especialista diz que, apesar da redução das medidas restritivas, se deve manter medidas gerais de proteção e introduzir-se um novo sinal de alerta: se a ocupação em UCI chegar a 70% do nível de alerta, ou seja 179 camas ocupadas em UCI ao longo de cinco dias, e se o RT se mantiver acima de 1.

Na situação atual, uma vez estamos abaixo desse nível de ocupação de UCI e, por isso, numa situação de "não alerta", recomendam que se mantenham medidas gerais:

- Reforço de vacinação;

- Continuar a usar certificado digital e testes negativos por rotina nos espaços públicos;

- Garantir arejamento e higiene frequente de superfícies;

- Evitar consumo de bebidas alcoólicas na vida pública.

Nos setores, das escolas à hotelaria, recomendam que se mantenham estas medidas gerais. Nos lares deve haver testagem regular de profissionais e visitas e medidas de controlo e infeção. Nas atividades desportivas e eventos em espaços limitados deve haver promoção das medidas atuais e deve haver preferência por eventos em espaços abertos e com circuitos de delimitação elevados.

"Só devem ser possíveis os eventos em que é possível cumprir as regras", disse.

Nos centros comerciais e celebrações defendem que devem ser mantidas as atuais regras.

Caso seja ultrapassada a ocupação de 70% em UCI:

- Manter medidas transversais mas em alguns setores apertar regras;

- Na atividade laboral, se houver um agravamento, haver teletrabalho;

- Redução da lotação permitida;

- Testagem de profissionais que não possam trabalhar remotamente;

- Redução de lotação na restauração e priorizar testagem;

- Redução da lotação em eventos para 75% e do número de pessoas que convivem em reuniões sociais e familiares para 10 pessoas com testagem prévia.

Os comentários estão desactivados.