Cultura

Jornal britânico The Guardian ganha dois prémios de jornalismo

Prémios foram feitos pela Press Gazette para assinalar os 10 anos da cerimónia de entrega dos prémios britânicos de jornalismo.


Amelia Gentleman, jornalista do jornal britânico The Guardian, recebeu o prémio de jornalista da década como resultado da sua investigação sobre finanças offshore e do escândalo Windrush.

Os prémios foram entregues pela Press Gazette para assinalar os 10 anos da cerimónia de entrega dos prémios britânicos de jornalismo. Os anteriores participantes e assinantes do boletim foram convidados a votar.

Amelia Gentleman foi nomeada jornalista da década depois de ter exposto o escândalo Windrush. A sua reportagem mostrou como as pessoas legalmente residentes no Reino Unido estavam a perder o acesso aos benefícios, ficando sem abrigo e enfrentando detenção ou deportação. O escândalo – que muitas vezes afetou indivíduos que tinham vindo das Caraíbas para o Reino Unido quando crianças, mas que não tinham papelada – levou à demissão da secretária do lar, Amber Rudd.

"O trabalho de Amelia, expondo o tratamento escandaloso dos imigrantes Windrush, foi espantoso. Estabeleceu a agenda durante semanas e derrubou uma secretária do Interior. Os pormenores e os estudos de caso foram brilhantes e todos seguiram esta história".

A investigação da década foi dirigida também ao The Guardian e à BBC pelo seu trabalho conjunto nos Documentos do Panamá, uma enorme fuga de dados da firma de advogados offshore secreta, Mossack Fonseca, que foi partilhada através do Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação.

Os comentários estão desactivados.