Cultura

Brigitte Bardot está no centro de uma nova polémica por rejeitar vacina contra a covid-19

Em entrevista à revista 'Gala', a atriz de 87 anos revelou ainda que, mesmo quando viajou para África, se recusou a ser vacinada contra a febre amarela. 


A atriz francesa Brigitte Bardot voltou a estar no centro de uma polémica, no dia 29 de dezembro, depois de ter afirmado que, ao contrário do que recomendam as autoridades francesas, não vai ser vacinada contra a covid-19 por ser "alérgica a todos os produtos químicos" . 

Numa entrevista à revista 'Gala', Bardot, agora com 87 anos, acrescentou ainda que, mesmo quando viajou para África, se recusou a ser vacinada contra a febre amarela, uma injeção obrigatória para poder entrar em alguns países do continente. “O meu médico na época escreveu-me um atestado falso. Fui para África e voltei em boa forma”, confessou. A protagonista de filmes como 'Et Dieu ... Créa la femme', de Roger Vadim , considerou que está bem de saúde.

"Tenho 87 anos, mas não tenho essa aparência. Não tenho cabelos grisalhos, sou muito magra. Tenho osteoartrose de quadril duplo, ando de muletas, mas se alguém tocar uma rumba, um chá-chá-chá, os Reis Ciganos ou algo flamengo, tenho vontade de mudar!”, acrescentou em depoimentos recolhidos pela rede LCI.

A atriz já se havia envolvido noutras polémicas nos últimos meses. Em novembro passado, foi condenada a pagar uma multa de 20 mil euros por insultos racistas, alegando que os habitantes da ilha francesa de Reunião "mantiveram os seus genes selvagens". Além disso, a artista afirmou que há "reminiscências de canibalismo dos séculos anteriores" que "deveriam ser banidas" .

Também em fevereiro de 2021, em entrevista à revista italiana 'Oggi', Bardot considerou que o coronavírus era "uma coisa boa", alegando ser "uma espécie de autorregulação de uma superpopulação que não podemos controlar".

Já em 2018, a atriz “incendiou” as redes sociais depois de afirmar que a maioria das queixas recentes de assédio no cinema são "casos de hipócrisia",  argumentando que muitos artistas "aquecem os produtores para ter um papel". 

Bardot está atualmente focada numa fundação com o seu nome, que se dedica à proteção dos direitos dos animais na França e em outros países, com denúncias públicas contra a caça e as touradas.

 

Os comentários estão desactivados.