Internacional

Nigéria. Mais de 100 pessoas mortas, dizem sobreviventes

Autoridades continuam à procura de terroristas. 


Mais de 100 pessoas foram mortas na conturbada região norte da Nigéria, segundo dizem os sobreviventes, uma vez que as autoridades continuaram a procurar corpos e suspeitos após três dias de violência.

Os bandidos chegaram em grande número às áreas governamentais de Anka e Bukkuyum, do estado de Zamfara, na terça-feira passada, disparando e incendiando casas, segundo disse Abubakar Ahmed, um residente em Bukkuyum. "Mataram mais de 100 pessoas", afirma, acrescentando que nove comunidades foram afetadas no incidente.

Um residente em Anka, Aliyu Anka, disse também que o número de vítimas foi superior a 100. Numa aldeia, "mataram pessoas de 20 anos ou mais", conta. "Alguns foram enterrados, outros foram queimados e ainda estamos à procura de corpos".

Nenhum grupo reivindicou a responsabilidade pelo ataque, mas a culpa recaiu rapidamente sobre os grupos armados que levaram a cabo milhares de raptos e mortes nos estados do noroeste e centro da nação africana ocidental. Ibrahim Dosara, comissário de Zamfara para informação, disse à agência de notícias Associeated Press (AP) que aguardavam mais informações sobre o incidente, incluindo o número de mortos. 

 

Os comentários estão desactivados.