Desporto

Nazaré. Surfistas que procuram recordes acabam feridos

Maya Gabeira, detentora do recorde mundial de maior onda surfada por uma mulher, voltou a sofrer um acidente na praia portuguesa.


Tudo começou, este sábado, com vários surfistas a tentarem quebrar recordes da modalidade no canhão da Nazaré, mas em vez de ser marcado pelo barulho e euforia de celebrações e glória, apenas se ouviu o barulho de sirenes de ambulâncias que ajudavam atletas depois de terem sofrido lesões fruto de acidentes nas ondas gigantes desta praia.

No primeiro dia do ano em que as ondas chegaram aos 20 metros de altura, diversos surfistas colocaram os seus dotes em prática para conseguir superar o tão cobiçado recorde mundial de onda surfada.

A surfista brasileira, Maya Gabeira, de 34 anos, estava determinada em ultrapassar o recorde que já tinha estabelecido em 2020, para a maior onda ilimitada surfada por uma mulher, depois de ter “cavalgado” uma onda de 22,4 metros, ano em que superou o anterior recorde mundial, de 2018, também da sua autoria, contudo o plano saiu furado depois de ter sido “apanhada” por uma onda, testemunhou a CNN Portugal, que gravava um direto na praia.

A surfista, assim como dois membros da sua equipa que a acompanhavam numa mota de água, tiveram que ser auxiliados por meios de socorro que estavam no local. Apesar do susto, todos os envolvidos neste acidente já se encontram estáveis.

Esta não é a primeira vez que Maya Gabeira sofre um acidente na Nazaré, famosa pelas suas ondas gigantes.

Em 2013, quando tentou quebrar este recorde pela primeira vez, a surfista brasileira sofreu um acidente grave.

Gabeira foi salva pelo colega surfista, Carlos Burle, mas acabou por perder a consciência e teve de ser transportada para o hospital. Na altura, foi diagnosticada com uma fratura no tornozelo.

“Eu amo o desporto mesmo depois de tantos tempos difíceis, lesões e traumas graves”, disse a surfista quando quebrou o recorde pela segunda vez, em 2020.

Outras vítimas Além de Gabeira, outros surfistas, que também procuravam firmar o seu nome na história deste desporto, também sofreram acidentes e tiveram que ser socorridos.

Algum tempo depois da brasileira ter sido socorrida, o surfista norte-americano, JC Macias, cunhado de Garret McNamara, foi arrastado por uma onda, teve uma queda aparatosa e partiu um braço. O atleta foi imediatamente assistido no local, e posteriormente transportado para o Hospital de Leiria.

A francesa Justine Dupont também teve um acidente numa onda gigante, sofrendo uma queda numa zona próxima de rochedos, tendo sido necessário a intervenção de uma equipa de socorro, e foi assistida no local, não sendo necessário transportar a surfista para o hospital.

O membro da equipa de Gabeira, o francês, Pierre Rollet, também teve que ser transportado para o Hospital de Leiria, depois de ter sido “atropelado” por uma moto de água, onde médicos terão afirmado que este tinha partido as costelas.

Estes acidentes, com todas as vítimas já estáveis, aconteceram num dia de free surf (surf livre), sem nenhuma prova de competição, onde as previsões indicavam para a maior ondulação do inverno, com ondas a ultrapassar os 20 metros.

Esta ondulação motivou muitos surfistas nacionais e internacionais – assim como vários espetadores entusiastas da modalidade – que esperavam poder bater o recorde de maior onda surfada.

Até ao momento, o recorde de maior onda surfada na Nazaré é de 24,38 metros, uma proeza conquistada pelo surfista brasileiro Rodrigo Koxa em novembro de 2017.

A sedução do perigo Apesar do iminente perigo oferecido por estas ondas gigantes, os mais destemidos surfistas dirigem-se regularmente até ao canhão português para tentar apanhar as maiores ondas do mundo.

Claro que nem sempre tudo corre como planeado, por exemplo, para o surfista brasileiro, Carlos Burle, um dos mais reputados desta modalidade, despediu-se do desporto, em 2018, depois de, numa etapa na Nazaré, não ter sido capaz de surfar nenhum tubo e ainda ter sido atingido por violentas ondas. Este episódio fez o atleta perceber que talvez já não estivesse em forma para surfar as ondas gigantes.

Outro episódio assustador aconteceu quando os brasileiros Pedro Scooby e Lucas Chumbo, em 2017, estavam no mar com uma mota de água, com o primeiro a ser resgatado pelo segundo, devido à violência das ondas acabaram por cair deste veículo.

Na confusão, a mota de água atingiu a cabeça de Scooby e este, depois de chegar a terra, teve que levar 20 pontos.

 

Os comentários estão desactivados.