Economia

ISEG. PIB deverá crescer entre 4,8% e 5,8%

Já no ano passado, a economia nacional terá crescido 4,4%.


O ISEG estima que a economia portuguesa tenha crescido 4,4% em 2021 e acredita que em 2022 o crescimento do Produto interno Bruto (PIB) se irá situar entre 4,8% e 5,8%, segundo a síntese de conjuntura. De acordo com o documento, a evolução do indicador de tendência da atividade global foi “particularmente positiva em outubro e novembro”.

Mas admite que “poderá ter sido mais comedida em dezembro devido ao recrudescimento da pandemia e a algumas limitações de atividade que, em particular, afetaram os segmentos dos serviços relacionados com o alojamento e restauração, espetáculos e atividades similares”, pelo que o crescimento nos últimos três meses do ano “pode ter ficado um pouco aquém do inicialmente esperado”.

 No entanto, estima que no último trimestre de 2021 (outubro a dezembro) o crescimento da economia foi de 4,7% face ao mesmo trimestre de 2020 e 0,8% face ao terceiro trimestre. Já para total do ano de 2021, a estimativa é que o crescimento tenha sido de 4,4%.

Quanto a este ano, admitindo que a pandemia terá impactos sanitários menos negativos, o ISEG prevê que o crescimento da economia portuguesa se situe entre 4,8% e 5,8%. A sustentar o crescimento está sobretudo a procura interna. “Admite-se que a economia portuguesa crescerá, sobretudo, por impulso da procura interna, nomeadamente consumo privado (5%), consumo público (3%) e investimento (10%). Espera-se uma retoma da procura turística externa, eventualmente não completa relativamente a 2019, mas o contributo da Procura Externa Líquida deverá ser nulo devido ao aumento da importação de bens”, diz o documento.

Mas deixa alertas, nomeadamente internos, como o investimento e riscos externos, caso da evolução do preço do petróleo e potenciais efeitos inflacionistas. Há ainda o risco associado à pandemia de covid-19, devido à possibilidade de gerar novas variantes.