Internacional

24 pessoas foram detidas por tráfico de migrantes da Argélia para Espanha

Segundo um comunicado da Polícia Nacional espanhola, os detidos “são suspeitos de transportar ilegalmente mais de 250 vítimas em 54 ocorrências nos últimos meses”.

 


A polícia espanhola anunciou na segunda-feira que, com o apoio da Europol, prendeu 24 pessoas por tráfico de migrantes entre Espanha e Argélia. Além do tráfico de migrantes, era também transportada droga e objetos roubados. 

Segundo um comunicado da Polícia Nacional espanhola, os detidos “são suspeitos de transportar ilegalmente mais de 250 vítimas em 54 ocorrências nos últimos meses”.

A investigação teve origem numa operação das forças de ordem, onde também foi desmantelada uma organização criminosa sediada em Espanha, com células em Múrcia, Alicante e Almeria, na costa mediterrânica a leste do país.

De acordo com a polícia espanhola, a rede “era constituída pelas duas organizações criminosas, perfeitamente estruturadas”.

Os custos cobrados pelas viagens variavam em função dos pontos de origem e destino. Ou seja, da Argélia a Almeria custavam até 5 mil euros; de Almeria a Alicante variavam entre 200 e 600 euros e de Alicante a França entre 700 e mil  euros.

O comunicado esclarece ainda que os detidos encontram-se sediados na província de Alicante, Comunidade Valenciana, apesar de operarem também noutras províncias, principalmente Almeria (Andaluzia), e noutros países Schengen, principalmente em França.

Em conluio com organizações criminosas sediadas na Argélia, ambas as organizações, serviam-se de embarcações de diferentes dimensões com o objetivo de “assegurar a entrada ilegal de imigrantes em território espanhol”, especialmente através da costa de Almeria.

A passagem da fronteira entre Espanha e França era realizada com um veículo que ia à frente do que transportava os migrantes para, caso surgisse uma eventual presença da polícia, houvesse tempo de avisar e “assegurar o sucesso da transferência”.

No que toca aos objetos roubados transportados de volta para a Argélia, este eram, sobretudo, dispositivos eletrónicos tais como telefones ou tablets, jóias, ouro e relógios. 

Os detidos são agora acusados de “pertencerem a uma organização criminosa”, e de crimes “contra os direitos dos cidadãos estrangeiros, contra a saúde pública e de recetação”.

No total da operação, foram apreendidos mais de 40 mil euros euros em dinheiro, quatro veículos, 3,5 quilos de ecstasy, 56 gramas de fenciclidina e ainda 710 maços de tabaco de contrabando.

Além disso, foram também localizados inúmeros artigos roubados, como 61 terminais móveis, três bicicletas de corrida, trotinetas elétricas, vários dispositivos eletrónicos, vários documentos de identidade de terceiros, cartões bancários e numerosos documentos relacionados com a investigação.