Opiniao

Portugal está em mudança, Rui Rio é a esperança

Rui Rio, ao contrário de António Costa que recebeu um partido organizado nada lhe deram e tudo teve que conquistar. Em 2018 quando se tornou líder do PSD, recebeu um partido muito desunido.


Aproximam-se as eleições legislativas, é o momento de cada um de nós decidir o que pretendemos para o nosso futuro. Embora haja vários partidos políticos com representação parlamentar, só dois partidos PS e PSD, tem possibilidade de ser Governo e só António Costa ou Rui Rio por decisão dos portugueses, um deles será indigitado primeiro-ministro. São duas personalidades que lutam pelo mesmo objetivo, mas tão diferentes no procedimento.

António Costa é um político com enorme talento na sedução, mas não é inovador na ação, não é corajoso e não tem como prioridade o futuro. António Costa como primeiro-ministro, a sua coroa de glória, foi arranjar lugares de destaque no Governo nos gabinetes ou empresas públicas a socialistas, muitas vezes familiares uns dos outros e sem currículo, mas com a intenção de lhe serem fiéis. De 2015 a 2019, tudo lhe correu bem, sendo cativante e oportuno nos seus interesses, conseguiu mesmo perdendo as eleições que Catarina Martins e Jerónimo de Sousa tudo lhe dessem e nada recebessem.

Por outro lado, estando o PSD numa fase de organização interna, para ele as eleições de 2019 foi um passeio sem obstáculos.

Mas com tanta sorte, António Costa a pessoa simpática e dialogante, a partir de 2019 passou a ser distante soberbo e arrogante. Não seguiu os exemplos de Mário Soares, António Guterres ou Jorge Sampaio na consideração, no respeito e no diálogo com os adversários. Menosprezou o líder da oposição, desvalorizou muitas vezes o Presidente da República e desprezou os seus aliados. Não respeitou os portugueses ao manter governantes que não eram dignos dos lugares que ocupavam. António Costa, nesta legislatura que felizmente terminou portou-se como uma espécie de ‘Rei Sol’, com a maior concentração de poder do Estado nele próprio.

Rui Rio, ao contrário de António Costa que recebeu um partido organizado nada lhe deram e tudo teve que conquistar. Em 2018 quando se tornou líder do PSD, recebeu um partido muito desunido. Mas Rui Rio é um resistente, que não se deixa abater a qualquer contrariedade e consegue superar as maiores adversidades. Nestes quatro anos de liderança, disputou três eleições internas e as três ganhou. Que desencanto para tantos discordantes e opositores dentro do Partido, parecendo muitas vezes que estava sozinho e desvenerado, demonstrou que estava certo. 

Sá Carneiro, fundador e a maior referência do PSD disse um dia: «Dizem que sou intratável, instável, já sei tudo o que se disse. O que é que quer que eu faça? O que eu sou é direto! E determinado». 
 De Rui Rio podem dizer tudo da sua personalidade, mas tal como Sá Carneiro, tem características muito próprias, é competente, honesto, direto e determinado. 

As eleições legislativas são para eleger o Parlamento, mas o seu principal objetivo é escolher o primeiro-ministro. Não sei quem as vai ganhar, mas em todos os estudos de opinião ou sondagens, só duas personalidades podem aspirar a esse lugar, António Costa ou Rui Rio. Cada um com perspetivas e dinâmicas para o país diferentes.
Com António Costa como primeiro-ministro, tivemos melhor saúde? Melhor educação? Melhores transportes? Melhores salários? Menos corrupção? A economia melhorou? melhores condições de vida, NÃO. Tivemos mais impostos e estamos mais endividados.

António Costa está cada vez mais só e inconformado. Não aceita qualquer acordo com os seus aliados, disse que são descartáveis. Com o PSD referiu «quando precisar desse partido o Governo cai» e começou o afastamento com o Presidente da República.

Enfim, para António Costa não existe diálogo, só existe o ‘Absolutismo’. Este procedimento, para os portugueses não é solução, mas sim o problema.

A solução está em Rui Rio, com Ele tudo pode ser diferente. É genuíno e muito resistente é coerente e cumpridor do que afirma e está muito bem preparado, tem um diagnóstico bem estudado e bem avaliado das reformas que o país precisa. Sabe que nada se realiza, sem um diálogo permanente e para isso está disponível para conversar com outras forças políticas nomeadamente com o PS. Rui Rio é um político corajoso e um economista e gestor de topo no setor privado. Com ele os dossiês são bem estudados e o dinheiro dos impostos ou dos fundos europeus, não são utilizados em empresas de utilidade duvidosa ou de projetos pouco credíveis. Para ele sem dúvida sair da cauda da Europa e dar qualidade de vida aos portugueses é a sua maior aspiração.

Não sou advinha e não sei o que o futuro nos reserva, mas sei até pela minha formação académica que a governação de António Costa, foi um autêntico fracasso, tanto na forma como exerceu o poder como na forma como o executou. Temos alternativa? Sem dúvida, Rui Rio é essa alternativa, depende de nós todos que nos sentimos tristes e desiludidos com esta governação, sermos parte ativa dessa mudança. Eu e os portugueses queremos um primeiro-ministro com ‘Novos horizontes para Portugal’. Eu vou votar em Rui Rio. 

Os comentários estão desactivados.