Sociedade

Cinco jovens entre os 17 e os 21 anos detidos por roubo com recurso a arma de fogo

Esta operação envolveu 60 elementos da PJ, sendo que a autoridade acredita "ter desarticulado uma importante atividade delituosa grupal na área da Grande Lisboa".


A Policía Judiciária (PJ) deteve, através da Diretoria de Lisboa e Vale do Tejo, cinco jovens, com idades compreendidas entre os 17 e os 21 anos, por fortes indícios da prática de diversos crimes de roubo agravado, com recurso a arma de fogo; detenção de arma proibida; tráfico de estupefacientes; burla informática e nas telecomunicações e acesso ilegítimo, avançou esta quarta-feira a autoridade.

Os factos ocorreram em Sintra, na Amadora e em Lisboa, entre julho e novembro de 2021, "atuando os suspeitos ora detidos de forma reiterada e formando para tanto um bando, que executava planos de assaltos à mão armada – visando taxistas, utentes de transportes públicos, entre o mais – participando em cada ação criminosa apenas uma parte dos seus elementos, de forma rotativa, e ficando os restantes em lugar de recuo", lê-se no comunicado divulgado.

Os crimes eram executados com recurso a armas de fogo e violência física e psicológica, de modo a retirar às vítimas "dinheiro, telemóveis e cartões bancários, através dos quais, na posse dos respetivos códigos, efetuavam levantamentos, transferências e aquisições de bens e serviços", explica ainda a PJ.

Além das detenções, foram realizadas treze buscas domiciliárias nas residências dos suspeitos, onde a autoridade procedeu à apreensão de elementos probatórios e de instrumentos utilizados para coagir a agredir as vitimas e também à recuperação de bens provenientes dos roubos.

Encontra-se preso preventivamento um sexto suspeito à ordem de outro inquérito da mesma natureza.

Esta operação envolveu 60 elementos da PJ, sendo que a autoridade acredita "ter desarticulado uma importante atividade delituosa grupal na área da Grande Lisboa".

Os cinco detidos, todos sem ocupação profissional, serão presentes esta quarta-feira ao primeiro interrogatório judicial, no Tribunal de Instrução Criminal de Sintra, visando a aplicação de medidas de coação tidas por adequadas.

Os comentários estão desactivados.