Internacional

Seis anos depois, homem confessa ter matado menina de sete anos com 42 facadas

Identificação do suspeito foi feita mais de seis anos depois da ocorrência do crime.


A Polícia Científica de Pernambuco, no Brasil, identificou o homem que matou a menina de sete anos Beatriz Angélica Mota, com 42 facadas, adiantou o jornal G1.

Marcelo Silva, de 40 anos, já se encontrava preso por outros crimes e confessou a autoria do crime que aconteceu num colégio particular em Petrolina, há seis anos. 

Beatriz Mota foi morta a 10 de dezembro de 2015, quando estava na formatura da irmã mais velha, de 10 anos. As últimas imagens em que a menina aparece com vida, mostram-na a sair de ao pé dos pais para beber água, sendo que nunca mais apareceu. 

O corpo foi depois encontrado dentro de um armazém de material desportivo naquela instituição, juntamente com uma faca cravada na região do abdómen. A menina apresentava também ferimentos no tórax, e nos membros superiores e inferiores.

Agora, as autoridades brasileiras revelaram que o ADN encontrado na faca pertence a Marcelo Silva, tendo este sido indiciado pelo crime esta terça-feira. 

Depois da identificação do suspeito, a mãe de Beatriz, Lucinha Mota, que disse ter ficado a saber da identificação do suspeito pela imprensa, fez uma transmissão em direto na internet para dizer que ainda faltam saber respostas sobre o homicídio. 

As motivações do crime continuam por esclarecer e o corpo da criança não tinha sinais de agressão sexual.