Internacional

Quebec vai criar imposto para quem não se vacinou contra a covid-19

Província não divulgou calendário para quando irá impor a taxa. 


O primeiro-ministro da província de Quebec, no Canadá, François Legault, anunciou na terça-feira que todos os cidadãos não vacinados vão pagar um imposto.

Segundo François Legault, os 10% de cidadãos que não receberam nenhuma dose da vacina contra a covid-19 até agora, não devem “prejudicar” os 90% que já estão vacinados. O imposto não será aplicado a pessoas que não podem ser vacinadas por razões médicas.

O site de notícias Quebec La Presse alertou que o imposto poderia visar membros vulneráveis da sociedade, que muitas vezes não dispõem dos recursos ou informações necessárias para aceder às vacinas. As minorias, incluindo os residentes negros e indígenas, também têm uma longa história de discriminação no sistema de saúde da província. O jornal, contudo, concluiu que o imposto era um instrumento necessário na luta contra o vírus.

"Neste contexto excecional, pedir às pessoas não vacinadas que paguem um preço razoável pode ser explicado. É uma questão de justiça. Todos devem contribuir para o esforço de guerra", defende François Legault. 

A província não divulgou um calendário para quando irá impor o imposto – o primeiro deste género na América do Norte - ou quanto irá custar. Já a Áustria, que lançou um imposto semelhante em novembro do ano passado, exige que os residentes com mais de 14 anos de idade paguem 3.600 euros (4.100 dólares) de três em três meses, se permanecerem não vacinados.

À medida que o debate sobre o imposto se desenrola, o ministro da Saúde Dubé alertou que a próxima semana será a mais difícil para a província, com centenas de pessoas a precisar de hospitalização, levando ainda mais o sistema de saúde de Quebec ao ponto de rutura."Estamos muito perto de um ponto sem retorno", disse.