Internacional

Modelo da Vogue confessa que matou marido após este levar amante para casa depois de ela recusar relações sexuais

Modelo internacional deverá começar a ser julgada este mês e, numa entrevista, na qual quebrou o silência sobre o crime, diz que acabou por matar o marido abusivo acidentalmente. A acusação defende outra versão.

Modelo da Vogue confessa que matou marido após este levar amante para casa depois de ela recusar relações sexuais

A modelo da Vogue Lilia Sudakova, que confessou ter matado o marido, alega que cometeu o crime depois de o companheiro a “insultar” ao levar outra mulher para a casa de ambos, depois de ela se recusar a ter relações sexuais com ele.

Sublinhe-se que os procuradores russos agravaram as acusações contra a modelo, que pode vir a ser condenada a 15 anos de prisão.

O caso ficou conhecido em dezembro de 2020, mas só agora Lilia Sudakova, de 27 anos, quebrou o silêncio sobre o crime, que vitimou Sergey Popov. A modelo russa insiste que foi vítima de violência doméstica e que agiu em legítima defesa.

"Ele estava morto de bêbado”, disse a modelo numa entrevista ao programa de televisão russo Redakciya “Ele chegou a casa com uma mulher e eu entendi o que ele queria mostrar-me com aquilo”, acrescentou. “Na noite anterior eu não fiz o que ele queria de mim... queria sexo... E ele só me mostrou que pode encontrar outra pessoa”, alegou.

 “Fui até a cozinha, perguntei se ela queria comer. Ele disse que também queria comer, mas eu respondi que ele próprio podia preparar [a comida] (…) A partir desse momento ele tornou-se agressivo. Atacou-me", recordou.
 
A modelo diz que estava a cortar tomate com uma faca de cozinha quando o marido gritou com ela e a “agarrou” novamente. Sudakova diz que o tentou afastar e, durante a discussão, acabou por esfaqueá-lo, sem querer, no peito.
 
“Eu vi sangue, vi uma faca na minha mão. E estava com medo que ele pegasse naquela faca e me cortasse até a morte. Então chamei uma ambulância, tentei chamá-lo à razão e dei-lhe água”, contou.
 
Depois do esfaqueamento, Sergey foi transportado para o hospital de ambulância, onde acabou por morrer.
 
“Ele disse-me: 'Não dói' e acrescentou: 'Perdoa-me'”, disse ainda a modelo, que atualmente está em prisão domiciliária depois de oito meses em preventiva.
 
É de realçar que os procuradores defendem uma versão contrária e dizem que Sudakova esfaqueou deliberadamente o marido, com a intenção de o matar.
 
O julgamento deverá arrancar este mês, no tribunal distrital de Dzerzhinsky, em São Petersburgo.
 
A modelo russa já tinha alegado que tinha sido maltratada ao longo da relação de quatro anos e a sua mãe, Irena Sudakova, também afirmou que a filha era vítima de violência doméstica. Uma versão apoiada pela estilista Karolina Pavlovskaya, amiga da modelo.

Lilia Sudakova já apareceu na capa da Vogue russa e em revistas de moda em Itália, China e Japão.

Os comentários estão desactivados.