Sociedade

PGR admite enviar magistrados a África do Sul para apoiar extradição de Rendeiro

PGR pretende enviar delegação de magistrados "para prestar todo o auxilio necessário e requerido pelas autoridades sul-africanas no contexto do processo de extradição".


A Procuradoria-Geral da República (PGR) admitiu estar a equacionar o envio de magistrados para a África do Sul, no sentido de acompanhar o processo de extradição do antigo presidente do BPP João Rendeiro.

A informação, avançada pelo Observador esta quinta-feira e posteriormente confirmada à Lusa por fonte oficial da PGR, surge na sequência da formalização do envio do pedido de extradição do ex-banqueiro, esta quarta-feira, e consequente receção da documentação pelas autoridades sul-africanas.

“Está a ser ponderada a constituição de uma delegação composta por magistrados do Ministério Público português com vista a deslocação à África do Sul para prestar todo o auxilio necessário e requerido pelas autoridades sul-africanas no contexto do processo de extradição”, adiantou a PGR.

João Rendeiro vai apresentar-se, no dia 21 de janeiro, no tribunal de Verulam, Durban, na África do Sul, depois de a sessão da passada segunda-feira ter sido adiada, por decisão do juiz do processo, uma vez que ainda não tinha sido enviada a documentação necessária pelas autoridades portuguesas.

 

Os comentários estão desactivados.