Sociedade

Lisboa tem quase 48 mil casas vazias que Câmara quer pôr "a uso"

Reabilitação e colocação destas casas no mercado da cidade são "a missão urgente" e a "imediata responsabilidade" da autarquia, diz vereadora Filipa Roseta.


Quase 48 mil casas em Lisboa não estão identificadas como residência principal nem secundária pelos proprietários e estão vazias, revelou esta quinta-feira a vereadora Filipa Roseta, defendendo que estas têm de ser postas "a uso".

"Temos de pôr os edifícios devolutos a uso, temos de pôr os públicos, temos de pôr os privados", afirmou a vereadora da Habitação na Câmara Municipal de Lisboa, acrescentando que a missão do Conselho Municipal de Habitação é perceber como é que vai "convidar os proprietários deste universo de quase 48 mil casas a virem a jogo".

A vereadora afirmou que a Câmara está a "fazer um trabalho" para "perceber o que são estas 48 mil" casas  e considerou que o Conselho Municipal de Habitação, reativado por este executivo, e que deverá ter a primeira reunião em fevereiro, "vai ser fundamental para isso" e para "incentivar os privados a porem as suas casas no mercado".

A vereadora do PSD recordou que a Câmara Municipal de Lisboa é proprietária de 2 mil destas casas devolutas e disse que a sua reabilitação e colocação no mercado da habitação da cidade são "a missão urgente" e a "imediata responsabilidade" da autarquia.

 

 

Os comentários estão desactivados.