Sociedade

Portugal regista maior número de mortes desde março de 2021 no dia em que não houve entradas ou saídas dos hospitais

Apesar do elevado número de casos e mortes, o número de doentes internados nos hospitais portugueses devido à pandemia de covid-19 não se alterou nas últimas 24 horas. Incidência mantém-se numa fase crescente, enquanto o RT continua a diminuir em todas as regiões do país. 


Pelo terceiro dia consecutivo, Portugal volta a registar mais de 40 mil casos diários por covid-19. Segundo o boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS), divulgado esta sexta-feira, nas últimas 24 horas, foram diagnosticadas 40.090 infeções, um número elevado -- mas menor do que o do dia anterior --, e 34 mortes associadas à doença. O país soma agora um total acumulado de 1.814.567 infeções e 19.237 vítimas mortais.

A região do Norte volta a registar o maior número de casos, com 15.914 novas infeções, seguida da região de Lisboa e Vale do Tejo com 14.513, Centro com 4.589, Algarve com 1.224 e Alentejo com 1.207. Já relativamente às regiões autónomas, o arquipélago da Madeira registou 2.193 novos casos e o dos Açores 450.

O relatório divulgado esta sexta-feira dá conta de mais 34 óbitos. Destes, 13 registaram-se na região de Lisboa e Vale do Tejo, 12 no Norte, quatro no Centro, três no arquipélago da Madeira e uma em cada região do Alentejo e do Algarve. De notar que desde 3 de março, portanto há mais de 10 meses, não se reportavam tantos óbitos por covid-19. Nesse dia lamentaram-se 41 mortes. 

Apesar do elevado número de casos e mortes, o número de doentes internados nos hospitais portugueses devido à pandemia de covid-19 não se alterou nas últimas 24 horas. Portanto, continuam 1.699 pessoas internadas em enfermarias, enquanto nas Unidades de Cuidados Intensivos (UCI) estão internadas 162. 

A matriz de risco foi atualizada esta sexta-feira. Segundo os dados da DGS, a incidência continua sem abrandar - já é superior a 3.700 -, ao passo que o RT voltou a diminuir. A incidência nacional é agora de 3813,6 casos de infeção por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias. Quando considerado apenas o território continental a incidência é de 3796,0. Já o Rt é agora de 1,19 tanto a nível nacional como continental.

Por outro lado, mais 27.424 pessoas venceram o vírus nas últimas 24 horas, elevando o total de recuperados desde o início da pandemia para 1.495.733.

Há agora 299.597 casos ativos no país, mais 12.632 do que no dia anterior, e as autoridades de saúde têm 251.832 contactos sob vigilância, mais 7.600 do que o reportado no último boletim.

Como é hábito, também foi atualizado o mapa dos concelhos quanto à incidência cumulativa de casos. Todos os concelhos de Portugal continental e insular têm mais de 240 novos casos por 100 mil habitantes em 14 dias (até 12 de janeiro), segundo o boletim da DGS. Face aos dados da semana passada, apenas 10 dos 308 concelhos desceram a incidência e dois mantiveram a mesma. 

Nos concelhos com menor incidência — três com incidência elevada (até 480 novos casos por 100 mil habitantes) e cinco com incidência muito elevada (até 960 casos por 100 mil habitantes) — estão quatro concelhos dos Açores e quatro concelhos de baixa densidade populacional do continente.

A maior descida notou-se em Avis, que passou de 2.170 casos por 100 mil habitantes para 906 — descendo do nível extremamente elevado para o muito elevado.

Por outro lado, as maiores subidas aconteceram em Câmara de Lobos, que no dia 23 de dezembro tinha 198 casos por 100 mil habitantes e que a 12 de janeiro eram 8.520 (quase o dobro da semana anterior), e também no Funchal que praticamente duplicou a incidência.

Consulte aqui o boletim na íntegra.

Os comentários estão desactivados.