Sociedade

Covid-19. Mais de três dezenas de mortes pelo terceiro dia consecutivo

O número de internados continua a subir, com mais 80 pessoas a sofrer de covid-19 nas enfermarias portuguesas.


Portugal registou, nas últimas 24 horas, 32.271 novos casos de covid-19 e 33 mortes associadas à doença. De realçar que este é o terceiro dia consecutivo com mais de três dezenas de mortes diárias por covid-19, tendo o número de óbitos deste domingo, igualado o do último relatório. Na sexta-feira, o país reportou 34 mortes – o maior número de mortes desde março de 2021. No total, desde o início da pandemia, e de acordo com boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS) divulgado este sábado, o país soma 1.884.974 infeções e 19.303 vítimas mortais.

O Norte voltou a ser a região com o maior número de novas infeções: 13.166. Segue-se Lisboa e Vale do Tejo, com 11.501 novos casos, o Centro, com 3.640, o Algarve, com 1.201, e o Alentejo, com 808. No arquipélago da Madeira há mais 1.327 infetados e no dos Açores 628.

Dos 33 óbitos, 14 ocorreram em Lisboa e Vale do Tejo, 8 no Norte, quatro no Centro, três no Alentejo, dois no Algarve e  e dois na Madeira.

Este sábado o número de doentes internados nos hospitais portugueses com covid-19 voltou a aumentar. Há agora 1.813 doentes covid internados, mais 80 face ao último balanço. Destes, 168, mais cinco do que ontem, estão a receber tratamento em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI).

Por outro lado, mais 14.516 pessoas recuperaram da doença, elevando o total de pessoas que venceram o vírus desde o início da pandemia para 1.538.316.

Há agora 327.355 casos ativos no país, mais 17.722 do que ontem, e as autoridades de saúde têm 280.944 contactos em vigilância.

Sublinhe-se que a matriz de risco foi atualizada sexta, não havendo, por isso, hoje quaisquer mudanças.. A incidência nacional é de 3813,6 casos de infeção por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias e, quando considerado apenas o território continental, a incidência é de 3796,0. Já o Rt é de 1,19 tanto a nível nacional como continental.

Consulte aqui o boletim na íntegra.

Os comentários estão desactivados.