Sociedade

Infarmed confirma notificação da suspeita de reação adversa da criança infetada com covid-19

A criança deu entrada no Hospital de Santa Maria no sábado com "um quadro de paragem cardiorrespiratória".

Infarmed confirma notificação da suspeita de reação adversa da criança infetada com covid-19

A Autoridade Nacional do Medicamento - Infarmed anunciou, esta segunda-feira à noite, que recebeu a notificação de suspeita de reação adversa no caso da morte de uma criança infetada com a covid-19, que ocorreu este domingo no Hospital de Santa Maria.

"Confirmamos que recebemos a notificação de suspeita de reação adversa no decorrer do dia de hoje e que a mesma se encontra a ser tratada pelo Infarmed em conjunto com a Unidade Regional de Farmacovigilância de Lisboa, Setúbal e Santarém", apurou a Autoridade Nacional do Medicamento à agência Lusa.

De acordo com o regulador nacional, estão a ser recolhidos "dados adicionais por parte do notificador para análise e avaliação da imputação de causalidade, uma vez que, não sendo a aparente relação temporal o único determinante na avaliação da causalidade, é necessário proceder à recolha de toda a informação clínica".

Esta análise ocorre antes da sua comunicação à base de dados europeia EudraVigilance, o sistema de gestão e análise de informações sobre suspeitas de reações adversas a medicamentos, que foram autorizados ou em estudo em ensaios clínicos no Espaço Económico Europeu.

Um menino de seis anos que estava positivo à covid-19 morreu, este domingo, no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, confirmou o Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte (CHULN) esta segunda-feira, indicando que as causas da morte ainda estão por apurar.

Segundo um comunicado divulgado pelo CHULN, a criança deu entrada no Hospital de Santa Maria no sábado com "um quadro de paragem cardiorrespiratória".

"A criança tinha a primeira dose da vacina contra a covid-19, tendo o CHULN notificado o caso ao Infarmed e à Direção-Geral da Saúde (DGS)", adiantou o centro hospitalar no comunicado.

Desde o início da pandemia, três crianças morreram entre os 0 e os 9 anos, segundos os dados da DGS.

Os comentários estão desactivados.