Cultura

Descobertas "avenidas de enterro" com 4.500 anos na Arábia Saudita

Arqueólogos e investigadores da Universidade da Austrália Ocidental descobriram uma rede rodoviária com 4.500 anos na Arábia Saudita que cobria cerca de 18 mil túmulos antigos bem preservados. 

 


A pesquisa, realizada ao longo do ano passado e cujos resultados acabam de ser publicados na revista científica Holocene, incluiu ainda levantamentos aéreos de helicóptero, levantamentos terrestres com escavações e exames de imagens de satélite .

Essas "avenidas de enterro", que se estendem por vastas distâncias nos condados árabes do noroeste de Al-'Ula e Khaybar, receberam pouco interesse até muito recentemente. “As pessoas que vivem nessas áreas conhecem-nas há milhares de anos”, afirmou o investigador Matthew Dalton à CNN, acrescentando que estas se estendem “por centenas e talvez milhares de quilómetros”.

Os túmulos são principalmente sepulturas pendentes ou em forma de anel e serviam para enterrar indivíduos ou pequenos grupos. Usando datação por radiocarbono, os pesquisadores determinaram que um grande número de amostras datam entre 2600 e 2000 a.C., embora os túmulos continuassem a ser reutilizados até cerca de mil anos atrás.

“Estas tumbas têm 4.500 anos e ainda mantêm a altura original, o que é realmente inédito. O nível de preservação é incrível ”, frisou a investigadora Melissa Kennedy. "O terceiro milénio é um período de tempo muito importante. Foi quando as pirâmides foram construídas e quando muitas culturas diferentes interagiram umas com as outras pela primeira vez em grande escala. Este período é realmente emocionante e abre enormes avenidas de pesquisa", concluiu.

Os comentários estão desactivados.