Vida

"Mesmo que no Instagram as coisas pareçam tão bonitas, no final do dia somos todos feitos do mesmo tecido"

É considerada uma das modelos mais bonitas do mundo, mas não esconde que, tal como qualquer outra pessoa, tem as suas lutas diárias. 


Bella Hadid falou abertamente sobre saúde mental e contou como aprendeu a lidar com a ansiedade, despoletada em grande parte devido à atenção que recebe por ser conhecida do grande público.

Em entrevista à revista WSJ, a modelo falou sobre a suas lutas e começou por abordar algo tão simples como escolher a roupa pela manhã. Ao ser questionada sobre o segredo para escolher o vestuário, Bella Hadid revelou que não tem um estilista há cerca de dois anos. “Estava num lugar tão estranho mentalmente que era muito complicado sair de casa e escolher um look, especialmente com a ansiedade dos [paparazzi] estarem do lado de fora”, começou por dizer.

A manequim explicou que, após aprender a lidar com esta ansiedade e com outras questões relacionadas com a sua saúde mental, abraçou o seu estilo e veste-se com o que a faz sentir bem.

“No ano passado, foi muito importante para mim aprender que, mesmo que as pessoas falem sobre o meu estilo, gostem ou não, não importa, porque é o meu estilo”, sublinhou. “Quando saio de casa de manhã, o que penso é: ‘isto deixa-me feliz? Sinto-me bem com isto e sinto-me confortável?’”, contou.

Na mesma entrevista, Bella Hadid acabou por falar de uma publicação que fez nas redes sociais, em novembro do ano passado, e que foi amplamente partilhada, na qual se mostrava a chorar.

“Eu tinha episódios realmente depressivos e a minha mãe ou o meu médico perguntavam-me como é que eu estava e, em vez de responder com uma mensagem de texto, apenas mandava uma fotografia”, recordou. “Era o mais fácil para mim na altura, porque nunca fui capaz de explicar como é que me estava a sentir”, desabafou.

“Estava apenas com dores mentais e físicas excruciantes e debilitantes, e não sabia a razão. Isto foi nos últimos três anos”, explicou. “[Quando fiz a publicação] foi para ter a certeza que qualquer pessoa que estivesse a sentir-se assim soubesse que não havia problema em sentir-se assim”, notou.

“Mesmo que no Instagram as coisas pareçam tão bonitas, no final do dia somos todos feitos do mesmo tecido. Senti que era bom para mim poder dizer a minha verdade e em algum momento eu já não era capaz de publicar fotos bonitas”, confessou.

A modelo diz sentir-se melhor, mas lembra que esta é uma luta diária.

“Tenho dias bons. Hoje é um dia bom. O meu nevoeiro cerebral está melhor, não me sinto deprimida. Não tenho tanta ansiedade como costumo ter. Mas amanhã posso acordar e ser o oposto. É por isso que fico tão sobrecarregada”, disse, admitindo ainda que se sentiu melhor só depois de receber o testemunho de várias pessoas que partilharam consigo sentir-se da mesma forma.

Os comentários estão desactivados.