Internacional

Polícia prende quatro alegados membros da máfia nigeriana Black Axe

Mulher vítima de tráfico humano e sexual foi convencida a denunciar raptores. 


Quatro alegados membros da máfia nigeriana foram presos na madrugada de terça-feira passada no sul de Itália depois de uma jovem sobrevivente de tráfico sexual se ter manifestado contra eles.

Os homens, que foram detidos em Palermo e Taranto, pertencem alegadamente ao conhecido e temido Black Axe, um grupo criminoso que surgiu nos anos 70 na Universidade do Benin, segundo dizem as autoridades.

A mulher, também nigeriana, foi forçada à prostituição depois de participar num ritual espiritual conhecido como juju, em que ligam as vítimas aos seus traficantes e a quaisquer dívidas em que incorram. "Os suspeitos foram acusados de escravatura, tráfico de seres humanos, rapto e prostituição [recrutamento de prostitutas]", disse a polícia.

A vítima, que os investigadores disseram ter sido convencida por um clérigo pentecostal a denunciar os seus captores à polícia, tinha sido presa, violada, chantageada e forçada a prostituir-se para pagar uma dívida de cerca de 15.000 euros.

Os comentários estão desactivados.