Internacional

Estudantes de Oakland protestam por mais segurança nas escolas

Protesto surge quando as escolas de todo o país se debateram com a mais recente onda da pandemia.


Mais de 1.200 estudantes em Oakland, Califórnia, nos EUA, assinaram uma petição que diz que ficarão em casa esta semana a menos que os diretores escolares forneçam mais proteções contra a covid-19, incluindo mais máscaras N95, testagem semanal e melhor distanciamento social.

Na terça-feira passada, três campos distritais foram encerrados porque estudantes e professores, em solidariedade, permaneceram em casa.

Numa conferência de imprensa dada esta quarta-feira, o porta-voz do Distrito Escolar Unificado de Oakland (OUSD), John Sasaki, disse que o número de presenças não estaria disponível até amanhã, mas o distrito esperava que mais de mil estudantes ficassem em casa. John Sasaki afirmou ainda que estava a fornecer testes gratuitos, máscaras e que tinha implementado outros protocolos de segurança, incluindo purificadores de ar, mas os estudantes e professores têm alegado desigualdades na distribuição de recursos entre escolas em bairros mais e menos ricos.

O protesto surgiu quando as escolas de todo o país se debateram com a mais recente onda da pandemia, com a variante Omicron. Nas últimas semanas, estudantes em Nova Iorque, Nova Jersey, Chicago, Washington DC e noutros locais lançaram também protestos e petições, exigindo mais segurança nas instituições escolares. Entretanto, os distritos têm enfrentado pressões imensas de encarregados de educação e políticos para manterem os campus escolares abertos.

Os comentários estão desactivados.