Sociedade

Número de internamentos por covid-19 volta a subir: Há mais de 2.200 pessoas nas enfermarias dos hospitais portugueses

Número de novos casos desceu ligeiramente em relação aos últimos dias, assim como número de óbitos.


Portugal registou, nas últimas 24 horas, 45.569 novos casos de covid-19 e 30 mortes associadas à doença. O boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS), divulgado este domingo, revela que, desde o início da pandemia, Portugal soma já 2.221.825 infetados, dos quais 19.569 não resistiram.

A região do Norte voltou a ser a que mais novos casos contabilizou - 20.549. Segue-se Lisboa e Vale do Tejo com 13.303, o Centro com 6.954, o Algarve com 1.716 e o Alentejo com 1.337. No arquipélago da Madeira há mais 1.005 infetados e no dos Açores mais 705.

Dos 30 óbitos reportados, 16 ocorreram em Lisboa e Vale do Tejo, 10 no Norte, dois no Centro, um no Alentejo e outro no Algarve.

Depois de uma descida ligeira, o número de internamentos voltou a aumentar. Há agora 2.219 pessoas infetadas a receber tratamento nos hospitais portugueses, mais 192 do que no último balanço. Destes, 160, menos 6 do que ontem, estão em Unidades de Cuidados Intensivos.

Por outro lado, mais 10.571 pessoas recuperaram da doença, elevando o total de recuperados desde o início da pandemia para 1.712.467.

Há agora 489.789 casos ativos no país, mais 34.968 do que ontem, e as autoridades de saúde têm 478.883 contactos em vigilância.

A matriz de risco foi atualizada esta sexta-feira e só será modificada na segunda-feira. O país mantém-se na zona mais escura, com a incidência a aumentar e o índice de transmissibilidade (Rt) a descer ligeiramente. Portugal tem agora uma incidência de 4.731,3 casos de infeção por 100 mil habitantes. Na última atualização, feita na quarta-feira, a incidência era de 4490,9. Quando considerado apenas o território continental, a incidência é de 4.674,0 e era de 4.437,4.

Já o Rt é agora de 1,10 tanto a nível nacional como apenas no continente. Na última atualização o Rt era de 1,11 a nível nacional e de 1,10 no continente.

Consulte aqui o boletim na íntegra.

Os comentários estão desactivados.