Economia

Alojamento e restauração perdem mais de 76 mil trabalhadores

Em dois anos o alojamento perdeu cerca de 16 mil trabalhadores e a restauração 60 mil.

Alojamento e restauração perdem mais de 76 mil trabalhadores

Os setores do alojamento e da restauração perderam mais de 76 mil trabalhadores no ano passado. A garantia é dada pela Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) com base nos dados do Instituto Nacional de Estatística (INE).

“Em 2021, de acordo com o INE, o canal HORECA empregava 244.400 trabalhadores (65.900 no alojamento turístico e 178.500 na restauração e similares), o que se traduz numa perda total de 76.300 trabalhadores face a 2019 (-16.100 no alojamento e -60.200 na restauração)”, detalha a associação.

Feitas as contas, as atividades destes setores perderam cerca de um quarto da força de trabalho que tinham em 2019, antes da pandemia de covid-19. “Apesar de, no verão de 2021, as nossas empresas terem iniciado lentamente a retoma da sua atividade, esta tímida recuperação não encontrou paralelo no emprego, tendo o setor continuado a perder postos de trabalho: entre 2020 e 2021 foram perdidos 47.600 trabalhadores”, acrescenta a AHRESP.

Alertando que esta perda é de “proporções muito superiores à das restantes atividades económicas”, a AHRESP defende ser “urgente reforçar as políticas de apoio à manutenção do emprego e à contratação de novos postos de trabalho no setor do turismo, devendo igualmente ser considerada a redução da carga fiscal associada ao emprego”.

E garante que é também “prioritário” que sejam desenvolvidos esforços para que estes setores “se tornem mais atrativos para os indivíduos em busca de emprego, permitindo às empresas recuperar os trabalhadores que foram deslocados para outras atividades no decurso da crise pandémica”.

Os comentários estão desactivados.