Vida

Bruno de Carvalho: "Isto é gozar com quem realmente é vítima de violência doméstica"

Antigo presidente do Sporting considera que estão a passar um "atestado de menoridade mental" à namorada para o atacar. 


Bruno de Carvalho recorreu, esta quinta-feira, às redes sociais, para comentar as acusações de violência doméstica de que tem sido alvo e as opiniões que tem ouvido acerca da sua relação com Liliana Almeida, concorrente com quem começou a namorar no programa Big Brother Famosos, da TVI.

“O atestado de menoridade mental que estão a passar à Liliana, só para me atacar, demonstra a pequenez de quem o faz. Agora ela já só me defende porque uma suposta vitima, não sabe que é vitima, até saber que é vitima. Isto para além de absurdo é gozar com uma mulher adulta e com quem realmente é vítima de violência domestica e de pressão psicológica. E mesmo com as respostas da Lili insistem e insistem e insistem”, começou por escrever o antigo presidente do Sporting numa publicação partilhada no Instagram.

“Sobre teorias científicas deixem-me falar de uma conclusão científica ao nível da que está a ser agora utilizada para continuar o massacre sobre mim: um cientista pegou num gafanhoto e disse salta. E o gafanhoto saltou. Tirou-lhe uma pata e disse salta, e o gafanhoto saltou. Tirou-lhe a segunda e disse salta, e o gafanhoto saltou. Tirou-lhe a terceira e disse salta, e o gafanhoto saltou. Tirou-lhe a ultima e disse salta, e o gafanhoto ficou no mesmo sítio. Para o cientista a conclusão foi clara, quando se tira as 4 patas do gafanhoto este fica surdo”, completou.

Recorde-se que a Procuradoria-Geral da República (PGR) confirmou, à agência Lusa, esta quarta-feira, que abriu um inquérito a Bruno de Carvalho, na sequência de uma denúncia por violência doméstica.

Foi no domingo que a Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género (CIG) anunciou que apresentou uma denúncia ao Ministério Público (MP) devido ao “comportamento ameaçador” do ex-dirigente leonino “para com a sua namorada, a concorrente Liliana, chegando inclusive a agarrar o seu pescoço de forma indelicada e evidentemente desconfortável”.

Também a Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) confirmou que recebeu queixas relacionadas com alegadas situações de violência psicológica e física no programa da TVI.

Os comentários estão desactivados.