Sociedade

Explosão de Nelas. Suspeito fica a aguardar julgamento em prisão preventiva

Homem está indiciado por um crime de incêndio, seis crimes de homicídio qualificado na forma tentada e dois de posse de arma proibida.


Ficará a aguardar julgamento em prisão preventiva o homem de 62 anos que, na quarta-feira, se barricou numa antiga serralharia em Vale de Madeiros, concelho de Nelas, e provocou um incêndio e várias explosões.

De acordo com a CNN Portugal, o sujeito está indiciado por um crime de incêndio, seis crimes de homicídio qualificado na forma tentada e dois de posse de arma proibida.

Recorde-se que o acidente ocorreu pelas 15h de quarta-feira, quando "foi dado um alerta para um incêndio num armazém de serralharia e foram despachados meios e equipas de combate a incêndio para o local", explicou aos jornalistas Miguel Ângelo David, comandante distrital das operações de socorro (CODIS) de Viseu.

Ao chegarem ao local, "os operacionais foram confrontados com várias explosões". Um militar a Guarda Nacional Republicana (GNR) e cinco bombeiros ficaram feridos, dois dos quais com gravidade.

Segundo a CNN Portugal, um dos bombeiros ficou ferido com gravidade e permanece em estado crítico à espera de uma cirurgia internado nos Cuidados Intensivos do Hospital de Viseu. O outro está internado numa enfermaria do mesmo estabelecimento hospitalar. 

A operação em Vale de Madeiros, envolveu, segundo o CODIS, "41 veículos e 95 operacionais, oriundos de várias entidades" e de vários pontos geográficos, assim como "pessoas locais que deram apoio com meios próprios".

Os comentários estão desactivados.