Internacional

UE impõe sanções a 27 entidades russas, membros do parlamento e bancos privados

Primeiro pacote das medidas foi apresentado esta terça-feira.

UE impõe sanções a 27 entidades russas, membros do parlamento e bancos privados

As propostas dos Estados-membros da União Europeia (UE) para as sanções à Rússia abrangem cerca de 27 entidades, assim como 350 membros do parlamento russo e "o congelamento de bens de dois bancos privados russos", assim como restrições económicas às duas regiões separatistas, indicaram fontes europeias à agência Lusa. 

O primeiro pacote das medidas foi apresentado esta terça-feira, adiantam as mesmas fontes, em COREPER II [Comité de Representantes Permanentes dos Governos dos Estados-Membros da União Europeia]”.

As sanções – que ainda terão de ser aprovadas pelos Estados-membros – surgem após o Presidente russo, Vladimir Putin, ter assinado, na segunda-feira à noite, um decreto em como reconhece as regiões separatistas de Lugansk e de Donetsk, no Donbass (leste), enviando forças armadas russas naqueles territórios ucranianos numa missão que diz ser de “manutenção da paz”.

Também hoje à tarde, os ministros dos Negócios Estrangeiros da UE vão analisar, numa reunião informal de urgência, em Paris, a imposição destas sanções à Rússia. Mas não é a única: está ainda marcada para o final do dia um nova reunião dos embaixadores dos Estados-membros junto da UE (COREPER II), sobre estas mesmas sanções.

“Para já, não está em cima da mesa a convocação de uma reunião de líderes” da UE, revelaram ainda as fontes europeias. 

Além disso, há países a determinar sanções mais específicas. O chanceler alemão, Olaf Scholz, anunciou hoje a suspensão da autorização para o gasoduto Nord Stream 2, que liga a Rússia à Alemanha, como consequência das atitudes de Putin. 

"Sem essa certificação, o Nord Stream 2 não pode ser colocado a funcionar", disse Scholz, em conferência de imprensa. Olfaf Scholz, no entanto, alerta que esta decisão era apenas "um passo concreto" e que outras sanções poderão vir. "Há também outras sanções que podemos introduzir se forem tomadas mais medidas, mas, por enquanto, é uma questão de fazer algo muito concreto", disse aos jornalistas.

Os comentários estão desactivados.