Cultura

Tribunal acusa ator Gerard Depardieu de violação e agressão sexual

Em maio do ano passado, o artista havia pedido a nulidade da acusação, contudo, o procurador-geral Rémy Heitz anunciou que o pedido foi “rejeitado”, explicando que “existem indícios graves ou concordantes” que justifiquem que continue a ser indiciado por atos praticados em agosto de 2018.


Segundo a agência France-Press, na quinta-feira, o Tribunal de Recurso de Paris confirmou a acusação de violação e agressão sexual feita ao ator francês Gérard Depardieu, que foram denunciadas em 2018 pela atriz Charlotte Arnould. 

Em maio do ano passado, o artista havia pedido a nulidade da acusação, contudo, o procurador-geral Rémy Heitz anunciou que o pedido foi “rejeitado”, explicando que “existem indícios graves ou concordantes” que justifiquem que continue a ser indiciado por atos praticados em agosto de 2018.

De acordo com a AFP, citando um comunicado do procurador-geral, o processo volta agora para as “mãos” do juiz de instrução “para seguir  para investigação judicial”.

A queixa em questão foi feita em 2018 por uma jovem atriz e bailarina, Charlotte Arnould, agora com 22 anos. A também artista, acusava o ator de ter cometido abusos sexuais em duas ocasiões, em Paris, nos dias 07 e 13 de agosto desse mesmo ano. Alegadamente, os abusos foram cometidos “no contexto de um ensaio informal para uma peça de teatro”.

Em junho de 2019, o Ministério Público francês concluiu a investigação preliminar afirmando que esta “não permitiu caracterizar os delitos denunciados em todos os seus elementos constitutivos”. Apesar disso, a vítima apresentou recurso, tendo sido decidida a reabertura do processo.

Através do advogado, o ator negou sempre “categoricamente qualquer agressão sexual e violação”.

Charlotte Arnould esteve na quinta-feira presente em tribunal, em Paris, mas não quis prestar declarações. A sua advogada, Carine Durrieu-Diebolt, revelou que a atriz “estava particularmente aliviada e confiante” com a decisão anunciada. 

Solicitado no mesmo dia pela AFP, o advogado do ator não comentou a decisão.

 

Os comentários estão desactivados.