Cultura

Escultura de Maria Madalena que esteve desaparecida vários anos pode valer até 9,4 milhões de euros

Este ano, a obra de arte foi identificada após ter sido vendida num leilão de estatuária de jardim por apenas 5.200 libras, cerca de 6 mil euros. Mas agora, o preço parece subir: a escultura foi avaliada para venda entre 5 e 8 milhões de libras, ou seja, um máximo de 9,4 milhões de euros.

 


Segundo o The Guardian, ‘Magdalene Giacente’, em português ‘Madalena recostada’ é uma obra de mármore da autoria do artista italiano Antonio Canova e retrata Maria Madalena em estado de êxtase. A escultura, que foi originalmente encomendada pelo então primeiro-ministro britânico, Lord Liverpool, tornou-se uma representação de uma “bela adormecida”, à medida que a sua autoria foi sendo gradualmente esquecida e o seu paradeiro se tornou desconhecido.

Este ano, a obra de arte foi identificada após ter sido vendida num leilão de estatuária de jardim por apenas 5.200 libras, cerca de 6 mil euros. Mas agora, o preço parece subir: a escultura foi avaliada para venda entre 5 e 8 milhões de libras, ou seja, um máximo de 9,4 milhões de euros.

"É um milagre que a obra-prima excecional e há muito perdida de Antonio Canova tenha sido encontrada, 200 anos após a sua conclusão", afirmou Mario Guderzo, um importante estudioso de Canova e antigo diretor do Museo Gypsotheca Antonio Canova. "Esta obra tem sido procurada por académicos há décadas, pelo que a descoberta é de importância fundamental para a história do colecionismo e para a história da arte", acrescentou.

De acordo com o jornal britânico, a escultura será leiloada pela Christie's ainda este verão. Apesar dos seus vendedores não terem sido nomeados, fala-se num casal britânico que a comprou para decorar o seu próprio jardim.

A sua redescoberta "traz à conclusão uma história muito particular digna de um romance, de um mármore de valor histórico significativo e de grande beleza estética produzido por Canova nos últimos anos da sua atividade artística", explicou ainda Guderzo.

Em 1819, o artista responsável pela escultura, disse: "Expus outro modelo de uma segunda Madalena deitada no chão, e quase desmaiei devido à dor excessiva da sua penitência, um tema que me agrada muito, e que me rendeu muita indulgência e elogios muito lisonjeiros".

 

Os comentários estão desactivados.