Internacional

Trump acusado de gastar fundos ilegalmente

O grupo American Bridge acusa o ex-Presidente dos EUA de violar a lei de financiamento das campanhas e exigem que seja multado pelo valor máximo permitido.


O ex-Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, foi acusado de violar as leis federais que regulam o financiamento das campanhas ao arrecadar e gastar dinheiro sem apresentar oficialmente a sua candidatura à Casa Branca.

A queixa foi avançada pelo grupo American Bridge, o comité de recolha de fundos de campanha pró-democrata, que, esta segunda-feira, apresentou uma queixa à Comissão Federal de Eleições (FEC, na sigla em inglês) onde acusou Trump de «usar ilegalmente o seu PAC (...) para arrecadar e gastar fundos além dos limites da Comissão com o objetivo de promover a campanha presidencial de 2024».

Este grupo denunciou «pagamentos para eventos nas propriedades de Trump, comícios com Trump, pagamentos de consultoria a ex-funcionários da campanha de Trump e publicidade digital sobre os eventos de Trump e o seu suposto oponente em 2024», segundo a Associated Press.

Ao alegar que o republicano, que liderou a Casa Branca entre 2017 e 2021, já decidiu avançar para uma candidatura em 2024, a American Bridge defende que este está obrigado a apresentar uma declaração de intenção de candidatura no espaço de 15 dias após receber contribuições, ou realizar gastos, acima dos 5.000 dólares.

«Trump está a brincar com a Comissão Federal de Eleições há meses», escreveu a American Bridge, acrescentando que o ex-Presidente, através do seu Save America PAC, gastou mais de 100 mil dólares por semana em anúncios na rede social Facebook e «arrecadou consistentemente mais de um milhão de dólares por semana», algo que é considerado uma «clara violação de financiamento de campanha».

A American Bridge quer também que a FEC obrigue à divulgação dos gastos de Trump e o multe pelo «valor máximo permitido por lei».

Segundo Taylor Budowich, porta-voz de Trump, a queixa da American Bridge não tem fundamento e acusou os democratas de recorrerem «a truques baixos».

«O nosso país está a entrar num desastre por causa das falhas dos democratas e, em vez de reverter o curso para fornecer o alívio necessário às famílias norte-americanas, estão ocupados a apresentar queixas frívolas que não têm fundamento», argumentou.

Donald Trump tem vindo a levantar o véu sobre uma possível corrida presidencial desde que deixou a Casa Branca.
Desde então, o republicano tem aludido aos seus planos em quase todas as aparições e entrevistas a apresentadores conservadores.

Trump tem alegado que está à espera de fazer o anúncio após as eleições intercalares norte-americanas, que decorrem este ano, para evitar desencadear leis de financiamento de campanha.

Os comentários estão desactivados.