Vida

Evan Rachel Wood quer retirar vídeo do YouTube por ter sido "violada frente à câmaras"

Videoclipe continua disponível mas petição já tem mais de sete mil assinaturas.

Evan Rachel Wood quer retirar vídeo do YouTube por ter sido "violada frente à câmaras"

A atriz Evan Rachel Wood, que acusou o ex-namorado Marilyn Manson de abusos sexuais, quer que o YouTube retire da sua plataforma um videoclipe que protagoniza com o músico.

O vídeo, de 2007, 'Heart-Shaped Glasses (When the Heart Guides the Hand)' mostra, segundo a atriz, relações sexuais não consentidas.

A atriz partilhou uma petição para a retirada do vídeo que já conta com mais de sete mil assinaturas, mas o YouTube mantém as imagens disponíveis.

No entanto, Jack Malon, representante da plataforma de vídeos, já reagiu à petição, tendo divulgado um comunicado, no qual garante estar "a acompanhar de perto a situação". Promete ainda que se se determinar que o vídeo "viola as diretrizes de responsabilidade dos criadores", o YouTube agirá "de forma apropriada".

Malon aproveita ainda para sublinhar que existe uma cláusula dos regulamentos da plataforma que pode mesmo levar à extinção do canal de Marilyn Manson, se este confessar ou for condenado por um crime que "lese a comunidade do YouTube".

Sublinhe-se que a petição foi criada por Victoria Ambrose, que se assume como "defensora de sobreviventes de violência doméstica", depois de Rachel Wood ter denunciado no documentário ‘Phoenix Rising’, que foi "violada frente às câmaras" durante as filmagens de 'Heart-Shaped Glasses'.

Os comentários estão desactivados.