Cultura

Os primeiros comentários de Chris Rock desde a polémica nos Óscares

O comediante Chris Rock fez a sua primeira aparição pública desde que Will Smith lhe deu uma chapada durante a cerimónia dos Óscares na noite de domingo.

 


Foi na última parte da sua turnê pelos EUA, mais precisamente em Boston, que o comediante disse aos fãs que ainda estava “a processar o que aconteceu”. 

Rock, que foi aplaudido de pé pelos fãs, também negou alguns relatos da imprensa americana de que tinha existido uma conversa entre ele e Smith desde o incidente. 

Segundo a BBC, os organizadores da cerimónia revelaram que Smith “foi convidado a sair depois de bater em Rock, mas recusou”.

"Como foi o vosso final de semana?", interrogou Rock, cumprimentando a multidão presente no espetáculo no Wilbur Theatre de Boston, antes de dizer que não planeava “abordar o incidente em detalhes”.

O ator de 57 anos, que atualmente está a apresentar a turnê ‘Ego Death’ nos EUA, revelou aos fãs que havia escrito o "show antes de toda esta confusão acontecer", mas prometeu “abordar o incidente num futuro próximo”.

“Ainda estou a processar o que aconteceu. Em algum momento falarei sobre isso!”, garantiu Rock. 

Steve Sarro, que participou no espetáculo em Boston, disse à BBC Breakfast que os fãs “mostraram o seu apoio à estrela”: "Assim que ele subiu ao palco, aplaudimos imediatamente de pé", contou Sarro. "Ele não conseguiu dizer uma única palavra durante alguns minutos. E nós vimo-lo a enxugar as lágrimas dos olhos”, acrescentou.

Os comentários de Rock ocorrem quando os organizadores dos Óscares, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, revelaram que Smith foi convidado “a deixar o evento após o incidente”: "O senhor Smith foi convidado a deixar a cerimónia, mas recusou. Reconhecemos que poderíamos ter lidado com a situação de maneira diferente", lê-se no comunicado dos responsáveis.

Além disso, estes também anunciaram que foi "iniciado um processo disciplinar contra Smith por violações dos Padrões de Conduta da Academia". 

A Academia disse que medidas podem ser tomadas na próxima reunião do conselho, que acontecerá no dia 18 de abril. Isso pode incluir "suspensão, expulsão ou outras sanções", diz o comunicado.

Os comentários estão desactivados.