Sociedade

"Fui alvo de ameaça de uma nova ordem mundial". Ativista perde novamente acesso a conta de Instagram

"Espero continuar a receber todas as denúncias na nova conta. Tanto de violação, violência doméstica e, resumidamente, tudo aquilo que viola os direitos humanos", relata Francisca de Magalhães Barros.

"Fui alvo de ameaça de uma nova ordem mundial". Ativista perde novamente acesso a conta de Instagram

DR  


Depois de ter sido afastada do Instagram e recuperado o acesso à conta oficial, no passado mês de janeiro, Francisca de Magalhães Barros voltou a recorrer a uma conta secundária para não interromper o trabalho que tem levado a cabo. "Basicamente, por ter sido alvo de ameaça de uma nova ordem mundial - e ter publicado essa mesma ameaça - para não defender mulheres violadas, vítimas de violência doméstica, racismo e outros crimes, perdi o acesso à conta", explica, em declarações ao Nascer do SOL, a também cronista e pintora.

"Espero continuar a receber todas as denúncias na nova conta. Tanto de violação, violência doméstica e, resumidamente, tudo aquilo que viola os direitos humanos", relata a jovem que pode ser contactada através da conta @franciscadembarros. "A verdade é que tive um trabalho enorme para organizar de forma coerente o meu Instagram como plataforma de ajuda, empoderamento e de fazer ouvir vozes e situações. Hoje podia estar muito chateada. Relativizando. Não estou. Paz. A luta pelos direitos humanos continua", escreveu numa publicação veiculada a 22 de março, tendo obtido de imediato o apoio de figuras públicas que acompanham o seu trabalho.

A título de exemplo, a 23 de março, Nuno Markl partilhou o seguinte texto numa publicação do Instagram: "A ativista Francisca de Magalhães Barros foi outra vez bloqueada pelo Instagram. Aparentemente por expor uma das muitas mensagens de ódio misógino e racial com que é bombardeada por fazer um trabalho nobre e com resultados em prol das vítimas. Republiquei a mensagem que lhe enviaram, para que se veja que isto existe. Risquei algumas partes para que os polícias bots não particularmente inteligentes do Instagram não me censurem a mim também, mas acho que se percebe os ninhos de vespas que vão grassando e fazendo estragos nesta rede", redigiu, referindo-se a comentários como "Otária de merda, andas a defender as coitadinhas que devem levar nos cornos".

Para além do humorista e também locutor, Francisca contou com o apoio dos atores Jessica Athayde, André Nunes, Sofia Arruda e Melânia Gomes e da artista Joana Alegre, sendo que o seu trabalho tem alcançado um elevado número de pessoas por meio das redes sociais. A ativista é responsável pelo alerta para casos como o de bullying sofrido por Luís Santiago, de apenas 12 anos, ou de três idosos que residiam sozinhos em Loures e não tinham capacidade financeira para comprar comida ou medicamentos. Mais recentemente, iniciou a angariação de fundos "Juntos pela PAZ! Conflito armado na Ucrânia!", juntamente com a Amnistia Internacional, para ajudar aqueles que mais têm sofrido desde a invasão da Ucrânia pela Rússia.

Os comentários estão desactivados.