Vida

"J.K eu espero que caibas dentro de um carro funerário". Ativista trans ameaça a escritora de morte

"J.K eu espero que caibas dentro de um carro funerário", disse a música da cantora e ativista trans Faye Fadem.


Faye Fadem, cantora e ativista trans, publicou, no dia 1 de abril, um vídeo no Twitter que continha uma ameaça de morte a JK Rowling, autora da saga "Harry Potter", de 56 anos, fazendo com que o vídeo acabasse por ser despublicado. 

A queixa foi apresentada por James Dreyfuss, ator de "Nothing Hill", que disse, na mesma plataforma, ter feito uma reclamação ao Twitter sobre o tweet de Fadem, cuja conta se chama TrustFundOzu, por ter uma música que diz "J.K eu espero que caibas dentro de um carro funerário", palavras passíveis de violar os termos de utilização e de serviço do Twitter. 

Assim, o ator partilhou a resposta da rede social, que não excluiu a conta da ativista trans e que deixou o ator indignado: "Surpresa, surpresa! Portanto, ameaças de morte = bom. Dizer 'mulheres são mulheres'= mau. Parabéns. Atingiu o fundo do poço. Procure ajuda", diz, dirigindo-se ao Twitter. 

Na mesma publicação, é possível ver o que o Twitter respondeu: “Depois de ver as informações disponíveis, queremos que saiba que o TrustFundOzu não violou as nossas políticas de segurança. Nós sabemos que esta não é a resposta que queria. Se esta conta violar as nossas políticas no futuro, nós avisamos", disse a rede social. 

Fadem, contudo, disse a 2 de Abril que o seu vídeo tinha sido removido do Twitter e escreveu aos seus seguidores: "A sair do twitter por um dia".

Mais tarde, a própria JK Rowlling entrou na conversa. "Receio não poder dar um grito a todos os que prometem assassinar-me - vocês são tantos, e eu sou uma mulher ocupada - mas este merece uma menção para a vibe rave dos anos noventa, @TrustFundOzu", disse, de forma sarcástica. 

A ativista não ficou satisfeita e reagiu: "Sei que não é essa a questão, mas este é um tweet muito manso comparado com o que eu e muitas outras pessoas trans recebemos todos os dias nas nossas secções de comentários", escreveu. "Tipo, isto não pode ser a pior coisa que as pessoas já lhe disseram". 

 

Os comentários estão desactivados.