Sociedade

Marinha abre processo disciplinar a militar que vendia droga a colegas em tratamento

Segundo a informação da Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa, "aquando da realização das buscas domiciliárias à residência do arguido, foram apreendidas mais de 250 gramas de cocaína e haxixe".


A Marinha abriu um processo disciplinar ao militar que o Ministério Público apresentou a primeiro interrogatório judicial por fortes indícios de se dedicar à compra de droga e à sua venda a terceiros, nomeadamente militares toxicodependentes em tratamento. 

De acordo com a agência Lusa, a Marinha disse que se encontrava a "colaborar com as investigações levadas a cabo pela Polícia Judiciária Militar (PJM)", acrescentando que "adicionalmente, foi levantando um processo de averiguações/disciplinar".

De acordo com a informação disponível no sítio na internet da Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa, os militares a quem o arguido vendia estupefacientes encontravam-se em tratamento na Unidade de Tratamento Intensivo de Toxicodependências e Alcoolismo do Hospital das Forças Armadas.

No comunicado, lê-se que, "aquando da realização das buscas domiciliárias à residência do arguido, foram apreendidas mais de 250 gramas de cocaína e haxixe".

Após o primeiro interrogatório judicial, terão sido aplicadas as medidas de coação de obrigação de apresentações diárias periódicas, proibição de contactos com e de permanecer/frequentar locais conotados com o tráfico e o consumo de droga.

A investigação vai prosseguir sob a direção do Ministério Público da secção de Almada do Departamento de Investigação e Ação Penal da comarca de Lisboa, coadjuvado pela Polícia Judiciária Militar.

 

Os comentários estão desactivados.